ADVOGADO DA EX-GOVERNADORA ROSEANA JOGA AS EXPLICAÇÕES DA PROPINA DA CONSTRAN PARA CIMA DE JOÃO ABREU.

Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay.

Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay.

MARANHÃO – O advogado de Roseana Sarney, criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, afirmou ao UOL que ela não vai se manifestar sobre a auditoria que constatou pagamento de propina e prejuízo ao erário no caso de pagamento de precatório a Constran. Kakay, como é conhecido, disse que quem tem que explicar é João Abreu (a época, na Casa Civil), Maria da Graça Marques Cutrim (então presidente do Instituto de Previdência do Estado) Helena Maria Cavalcanti Haickel (procuradora-geral) e João Bringel (que comandava o Planejamento do governo Roseana).

“Os órgãos competentes que participaram é que têm de manifestar. Ela não participou da negociação e apenas assinou um ato final depois de um complexo processo, que tinha, inclusive, participação do Poder Judiciário. Foi essa instância que teve poder de decisão”, explicou. Segundo apurou a Polícia Federal, o doleiro Alberto Youseef e a sua contadora Meire Poza participaram de uma reunião com agentes do governo para tratar de propina de R$ 6 milhões para que a empresa Constran furasse a fila dos precatórios e recebesse R$ 114 milhões. A reunião ocorreu no dia 10 de setembro de 2013. Meire Poza diz que o dinheiro foi entregue a João Abreu. Com a auditoria concluída, o governador Flávio Dino (PCdoB) remeteu o caso para investigação da Polícia Civil, do Ministério Público do Maranhão e da PGE (Procuradoria Geral do Estado).

Você pode gostar...