Agente penitenciário é baleado em Lago da Pedra em barreira para prender assaltantes de banco de Bacabal.

Agente penitenciário Glauber Sousa diz que fugiu da barreira policial porque pensou que se tratavam de bandidos.

LAGO DA PEDRA/MA – O agente penitenciário Glauber Sousa foi baleado nesta quarta (28) na cidade de Lago da Pedra após passar por uma barreira da polícia para prender membros da quadrilha que assaltou o Banco do Brasil de Bacabal, no domingo (25).

Os policiais perseguiram o carro dele por mais de um quilômetro, suspeitando que era um bandido que dirigia. Os policiais atiraram no veículo até chegar em um povoado da cidade.

Glauber parou o carro em frente a uma escola, onde alunos com idade entre 7 e 12 anos estavam assistindo aula. Quando percebeu que se tratava de um tiroteio, o professor da turma pediu que todos deitassem no chão e sugeriu que eles usassem as carteiras para se proteger. Ele não quis se identificar, mas disse que as crianças ficaram desesperadas.

“Muito assustadas e chorando”, disse o professor.

Glauber acabou baleado na barriga e foi levado para um hospital. Na delegacia, ele disse que foi abordado por uma viatura descaracterizada e que não parou porque achou que eram bandidos.

“Imaginei que fossem bandidos e zelei pela minha vida… pela integridade física. Adentrei a estrada vicinal tentando me evadir. Houve alguns disparos, ao qual me pegou de raspão, mas a situação foi resolvida lá no hospital”, contou o agente penitenciário.

Glauber foi autuado por porte ilegal de armas, já que não poderia estar armado fora do horário de trabalho. O delegado regional de Bacabal, Carlos Renato, disse que ainda investiga se ele teve algum envolvimento com o assalto ao Banco do Brasil.

Barreiras ao redor de Bacabal

A polícia segue com barreiras pelas rodovias da região. Em Bacabal, moradores que saquearam a central de distribuição do Banco do Brasil estão devolvendo na delegacia o dinheiro que os assaltantes deixaram cair durante a fuga.

Até o momento, a polícia já recuperou quase R$ 4 milhões das mãos dos moradores. Os investigadores acreditam que os bandidos podem ter levado mais de R$ 100 milhões no assalto.

Líder da quadrilha

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão afirma que o líder do grupo que assaltou o BB de Bacabal é o assaltante baiano Zé de Lessa, que teria comandado o assalto do Uruguai. Durante o confronto entre policiais e assaltantes na noite do crime, um morador da cidade e três criminosos morreram.

Um policial militar do Piauí, André dos Anjos de Sousa; e o bombeiro militar de Bacabal, Luís Gustavo Lima Mendes, foram presos por recolher o dinheiro deixado pelos assaltantes. Eles já foram liberados e vão responder pelo crime de furto.

A polícia também investiga o desaparecimento de um caminhoneiro de pernambuco chamado Obadias Pereira da Silva. Segundo a polícia, o caminhão dele foi usado pelos ladrões para fugir com o dinheiro roubado. O veículo foi encontrado queimado a 60 km de Bacabal.

 

(FONTE: G1MA)

Você pode gostar...