ASSASSINO DO MÉDICO E LÍDER DO GRUPO ESPECIALIZADO EM ASSALTOS SÃO PRESOS.

Orelha e Aranha (a dir.) participavam da quadrilha que atuava em bairros da capital.Ruan é apontado como líder de bando especializado em roubo a casas da capital.

Orelha e Aranha (a dir.) participavam da quadrilha que atuava em bairros da capital. Ruan é apontado como líder de bando especializado em roubo a casas da capital.

SÃO LUÍS – Uma operação integrada entre as forças de segurança de São Luís resultou na prisão de três integrantes de uma quadrilha especializada em roubo a residências, nesta quarta-feira (28), na comunidade da Portelinha, no bairro do São Francisco. Um deles é suspeita de ter atirado contra o médico e diretor do hospital, Luis Alfredo Netto Guterres, em novembro passado.

De acordo com o major Deça, comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar, a operação tinha como objetivo principal a prisão de Ruan Jefferson dos Santos do Maranhão, líder do bando responsável por diversos assaltos a residências nos bairros do Cohafuma, Olho d’água e Residencial Pinheiro. Com as informações obtidas com Ruan, os policiais conseguiram prender, também, Anderson Silva Gonçalves, o “Aranha”, suspeito de ter matado o médico Luis Alfredo Netto Guterres. Ronilson Augusto Silva Martins, o Orelha, também foi preso por suspeita de integrar o bando.

Com os três homens, a polícia encontrou armas e munições. “Todos são da mesma quadrilha e estavam atuando a vários dias. Inclusive já tinha mandados de prisão expedidos pela Justiça. Todos foram reconhecidos por vítimas de roubos a residências”, revelou o major Deça.
Além dos membros da quadrilha especializada em assaltos a residências, foram presas também outras quatro pessoas, suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas. A operação contou com a participação dos policiais da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), com o apoio do Grupo Tático Aéreo, Serviço de Inteligência da PM e de policiais do 8º BPM.

Entenda

Quatro homens armados teriam participado na morte do médico. Na ocasião um menor e outro suspeito foram capturados. Um terceiro suspeito foi liberado por falta de provas. A prisão de Aranha foi resultado de meses de investigação. O médico teria sido abordado pelos assaltantes e reagido, travando luta corporal com um dos criminosos. A vítima acabou baleada no pescoço e morreu dentro do terraço da sua casa. Após o crime, os suspeitos fugiram em alta velocidade em direção ao bairro Turu. A polícia afirma ainda que os envolvidos no crime que vitimou o médico faziam parte da quadrilha comandada por Ruan. Eles teriam sido capturados após rastreamento do celular do médico, que havia sido roubado pelos bandidos.

Você pode gostar...