ASSESSORA DO GOVERNADOR FLÁVIO DINO DEPOIS DE ACUSAÇÕES DE PROPINA PEDE EXONERAÇÃO DO CARGO E NEGA TER RECEBIDO.

Simone Limeira.

Simone Limeira.

MARANHÃO – Depois de um escândalo sobre propina à assessora especial do governador Flávio Dino, Simone Limeira, pediu demissão durante uma reunião nesta terça-feira (21) à noite no Palácio dos Leões. A assessora de Flávio Dino foi acusada pelo líder indígena Uirauchene Alves Soares de receber propina (duas parcelas de R$ 4 mil em sua conta pessoal) para liberar pagamento do transporte escolar dos índios.

Em nota, Simone Limeira diz que “se trata de armação para atingir a mim e o governo”. Ela também nega que tenha recebido propina.

Sobre os depósitos na sua conta, a assessora falou que o primeiro foi uma “colaboração” de Uirauchene para o carnaval de Grajaú, onde ela pretende ser prefeita nas próximas eleições. Já o segundo depósito, ela disse que só ficou sabendo “pelos blogs”.

O pedido de demissão de Simone Limeira só reforça a acusação do líder indígena. É como diz o ditado: quem não deve não teme.

Veja abaixo a nota na íntegra:

Venho por meio deste e em respeito ao povo de Grajaú, do Maranhão, aos meus colegas de partido e de governo, e da sociedade em geral, prestar os seguintes esclarecimentos acerca de denúncia contra mim veiculada em blogs e jornais a partir de declarações dadas pelo Sr Uirauchene Alves Soares. Antes de tornar esta nota pública, informo ter procurado pessoalmente a Assessoria Especial do Governo para prestar estes esclarecimentos e as providências que estou adotando.

Em primeiro lugar afirmo que o depósito feito em minha conta no último dia 17 de julho se trata de armação para atingir a mim e o governo. Jamais solicitei tal depósito ao Sr. Uirauchene nem com ele tratei em momento algum de assunto desse tipo. Só fiquei sabendo do depósito pelos blogs ontem à noite e hoje fiz o estorno do valor indevidamente depositado.

Quanto ao outro depósito, esclareço que no início do ano o Sr Uirauchene colaborou como patrocinador com recursos para a organização de atividades do carnaval em Grajaú, do mesmo modo que fizeram outras pessoas, incluindo amigos empresários da cidade.

Ao esclarecer estes fatos repudio com muita indignação tamanha e tão covarde armação contra mim, que sempre atuei em apoio as comunidades indígenas de Grajaú. Jamais, repito, atuaria de uma forma que tanto condeno e nem trairia a confiança dos que acreditam em mim.

É sabido que eu, na qualidade de assessora especial do Governo do Maranhão, tenho buscado mediar soluções sobre as demandas indígenas em geral e não somente a questão de transporte escolar indígena. Ressaltando que eu não tenho poder decisório para essa questão, sendo a Secretaria de Educação responsável por tratar deste assunto em específico. Jamais procurei a Secretaria de Educação para requerer pagamentos de quem quer seja.

Tenho minha consciência tranquila e estou tomando as providências cabíveis. Certa da minha inocência, mas sabedora de que se trata de armação grosseira para atingir o governo, informo que hoje, após reunião citada em que prestei esclarecimentos, pedi meu afastamento da Assessoria Especial para provar em todas as instâncias que forem necessárias a minha total inocência.

Tenho uma vida limpa e uma atuação política ética, o que aumenta a minha indignação e sentimento de busca da verdade e da justiça.

Simone Gauret Serafim Lima Limeira

 

Você pode gostar...