CORRUPÇÃO DO SEGURO-DEFESO GERA ATRITO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA.

DEPUTADOS JUNIOR VERDE, FERNANDO FURTADO E EDSON ARAÚJO.

DEPUTADOS JUNIOR VERDE, FERNANDO FURTADO E EDSON ARAÚJO.

MARANHÃO – Dois deputados da chamada “Bancada do Peixe” da Assembleia Legislativa estão em rota de colisão. O atrito aconteceu na primeira Sessão Ordinária desta semana e foi entre o deputado Júnior Verde (PV) e o suplente de deputado Fernando Furtado (PCdoB). A crise foi iniciada quando o deputado comunista da “Bancada do Peixe” foi a Tribuna comentar a prisão de uma quadrilha instalada no Sindicato dos Pescadores de Viana. Fernando Furtado responsabilizou a Superintendência da Pesca no Maranhão, órgão vinculado ao Governo Federal, por alguns desmandos.

“Nós entramos na Justiça, garantimos na Justiça Federal para que quem não tivesse o RGP na mão, mas que estivesse cadastrado no Sistema Nacional do Ministério da Pesca, bastava ter uma declaração dada pelo superintendente Federal da Pesca, que ele estaria contemplado a receber o seguro. Se for o caso pedirei uma CPI nessa Superintendência da Pesca no Maranhão, porque a coisa está feia e está aí o escândalo em Viana. Os caras vendiam carteira, os caras dividiam os seguros das pessoas, os caras faziam miséria. E eu acho que a Polícia Federal tem que investigar não é só Viana, isso aí é uma ponta de um iceberg, de um escândalo na pesca no Estado do Maranhão”, declarou.

O deputado Júnior Verde, ex-superintende da Pesca no Maranhão, não gostou do que ouviu e também foi a Tribuna e rebateu as acusações com insinuações sobre o colega deputado. “Eu fui superintendente Federal da Pesca, mas eu estava lá para fazer carteiras verdadeiras. É interessante quando se fala em balcão de negócios, porque tem mulher tomando conta de um sindicato, irmão tomando conta de outro, primo tomando conta de outro. O problema é questão familiar, e ainda vão falar em balcão de negócios? Ainda vão citar balcão de negócios. Tendo a família inteira participando lá da conjuntura do sindicato”, afirmou.

Júnior Verde ainda afirmou que o problema nasce no município e lembrou que Fernando Furtado foi presidente do sindicato e que protestava por mais carteiras de pescadores.

“A demanda da pesca, do pescador, nesse problema que nós estamos aí imerso, nasce lá da ponta, nasce do município. A Superintendência não é culpada pelo pagamento do seguro defeso no Estado. A Superintendência resguarda direito, avançando, mas recebi vários protestos, inclusive, do hoje deputado Fernando Furtado, que antes era presidente do sindicato. Protestos na porta da Superintendência requerendo mais carteiras, mais registros dos pescadores. Por fim, eu quero lamentar a forma que o deputado Fernando Furtado tem atuado, de forma covarde, porque enquanto estou aqui na sessão, ele está lá fora falando mal de mim”, finalizou.

Pelo visto, esse foi apenas o primeiro embate entre os deputados da “Bancada da Pesca” e vale lembrar que ainda tem o deputado Edson Araújo (PSL), outro membro da tal bancada que promete, vez por outra, agitar o parlamento estadual.

Você pode gostar...