CRIME DO MENINO QUE MATOU A FAMÍLIA DE PMS CHOCOU O MUNDO VEJA VIDEO QUE MOSTRA MENINO SAINDO DO CARRO E INDO A ESCOLA.


VÍDEO MOSTRA MARCELO

VÍDEO MOSTRA MARCELO INDO PARA ESCOLA

 

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o menino Marcelo Pesseghini, de 13 anos, teria estacionado o carro da mãe próximo à escola onde estudava, na Zona Norte de São Paulo, na manhã de segunda-feira (5). As imagens foram divulgadas pela Polícia Civil no início da noite desta terça-feira (6).

Um amigo reconheceu Marcelo Pesseghini como o menino que, no vídeo, sai do carro e se dirige para a escola, segundo a polícia. O suspeito estava com a mesma mochila que, posteriormente, foi encontrada por policiais militares na residência da família assassinada. Na mochila, havia um revólver calibre 32, de propriedade da mãe de Marcelo, a cabo da PM Andréia Regina Bovo Pesseghini, e alguns pertences.

O menino é o principal suspeito de matar os pais policiais militares, a avó e a tia-avó na madrugada de segunda-feira. Ele teria ainda ido à escola no período da manhã e se matado após retornar para casa, na Vila Brasilândia, na Zona Norte da capital paulista.

VÍDEO MOSTRA MARCELO NA ESCOLA

VÍDEO MOSTRA MARCELO NA ESCOLA

Outro vídeo mostra Marcelo na escola após, supostamente, ter cometido os homicídios

Suspeito

A Polícia Militar acredita que o garoto Marcelo Pesseghini foi à escola pela manhã após já ter assassinado os parentes. O comandante da Polícia Militar, coronel Benedito Roberto Meira, afirmou em entrevista ao SPTV que câmeras de segurança mostram uma pessoa, que seria Marcelo, estacionando o veículo da policial à 1h15 de segunda próximo ao Colégio Stella Rodrigues, na Rua João Machado.

A pessoa sai após as 6h30, com uma mochila nas costas e entra na escola. Esse primeiro vídeo, no entanto, não permitia confirmar com exatidão que a pessoa é o garoto, o que teria ocorrido com a localização de um segundo vídeo.

MARCELO AO LADO DO PAI

MARCELO AO LADO DO PAI

 

Para a Polícia Militar, as mortes dos parentes de Marcelo, em duas casas que ficam num mesmo terreno na Rua Dom Sebastião, na Vila Brasilândia, aconteceram entre a noite de domingo (4) e a madrugada de segunda-feira.

O coronel Benedito Meira afirmou que está descartada a possibilidade de vingança. “Nós descartamos possibilidade de retaliação por parte de facção. A casa não estava revirada, não há sinais de arrombamento”, afirmou.

Menino canhoto

Segundo o coronel Benedito Meira, “o menino era canhoto, o disparo foi feito do lado esquerdo da cabeça dele e a arma estava debaixo do corpo do adolescente”. No entanto, ele ressaltou que a polícia não descarta que outras linhas de investigação possam aparecer nos próximos dias. No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil consta que o adolescente encontrado morto “empunhava a arma na mão esquerda, debaixo do corpo”.

Nesta terça-feira, Fábio Luiz Pesheghini, irmão de Luís Marcelo, afirmou que o sobrinho não era canhoto. “Pelo que eu sei ele era destro. Eu tenho quase certeza que ele era destro”, disse. Segundo Fabio, o sobrinho era “tranquilo, uma criança normal, que não dava trabalho para os pais, mal saía de casa”. Ele disse desconhecer se o irmão e a cunhada recebiam ameaças.

FAMÍLIA COM MARCELO

FAMÍLIA COM MARCELO

Fonte: G1

 

 

Deixe uma resposta