Filho acusado de mandar matar o pai ex-prefeito ‘Nenzim’ presta novo depoimento em São Luís.

Manoel Mariano Júnior, suspeito de planejar o assassinato do pai, chegou algemado a sede da SEIC em São Luís.

SÃO LUÍS/MA – O filho do ex-prefeito Manoel Mariano de Sousa, o ‘Nenzim’, assassinado com um tiro no pescoço no último dia 6 em Barra do Corda, prestou na manhã de sexta-feira (15), um novo depoimento a polícia em São Luís. De acordo as investigações, Manoel Mariano Júnior é o principal suspeito de ter planejado a morte do pai.

Este é o segundo depoimento que ele presta a Polícia Civil. O suspeito chegou pela manhã à sede da Superintendência Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção a Pessoa (SEIC) no bairro do Centro em São Luís, ele estava algemado e usando o uniforme do sistema carcerário. Segundo a polícia, além de Manoel Mariano Júnior, mais três pessoas estão presas por suspeita de envolvimento no assassinato de ‘Nenzim’.

Esta é a segunda vez que Mariano Júnior presta depoimento para Polícia Civil.

Imagens de câmeras de segurança de um condomínio mostram a caminhonete em que o ex-prefeito e seu filho Mariano Júnior, estavam no momento em que ele foi atingido com um tiro no pescoço. As investigações apontam que após ‘Nenzim’ ser alvejado, o carro onde ele estava ainda circulou por cerca de 40 minutos dentro do condomínio e após esse tempo, ele foi socorrido e levado para o hospital, mas já chegou morto ao local.

A Polícia Civil espera que com as provas adquiridas, o resultado do laudo cadavérico e do local do crime que serão divulgados pelo Instituto de Criminalística e Medicina Legal (ICRIM), possa chamar o suspeito para prestar novos esclarecimentos, pois ainda há inúmeras contradições em seu depoimento.
O assassinato do ex-prefeito ‘Nenzim’ teria tido como motivação o roubo de várias cabeças de gado de sua propriedade em Barra do Corda. Segundo as investigações, Manoel Mariano Júnior estaria devendo agiotas e com isso, teria vendido as cabeças de gado da fazenda do seu pai para o pagamento dessas dívidas.

Segundo uma das filhas do ex-prefeito, Sandra Helena, a família estava desesperada por respostas. Após a morte do ex-prefeito e antes do velório do corpo, familiares procuravam entender o que teria motivado o assassinato. Dias após a morte de Mariano de Sousa, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que, diante das investigações, pediu à Justiça pelo mandado de prisão do assassino do ex-prefeito de Barra do Corda.

O corpo de ex-prefeito foi velado durante toda a madrugada desta quarta-feira, em sua residência, em Barra do Corda e foi acompanhado de uma multidão de amigos. O enterro aconteceu no fim da tarde deo último dia 7 de dezembro, no cemitério São Francisco, em Barra do Corda.

Você pode gostar...