Governo do Maranhão se prepara para Missão Ásia.

Vice-governador Carlos Brandão comandará missão na Ásia, neste semestre. Diversos setores empresariais maranhenses apoiam esta iniciativa.

MARANHÃO – Ainda para este segundo semestre, o governo do Estado do Maranhão está prevendo uma missão institucional e empresarial com destino a China, Coreia do Sul e Vietnã. O chamariz é o fato de que cada um desses países pode contribuir para a aceleração do desenvolvimento da qualidade de vida do maranhense, tanto por meio de projetos de cooperação técnica quanto a partir de fortalecimento de laços comerciais e promoção de investimentos.

Foi enxergando esse cenário que as Secretarias de Programas Especiais (Sepe), da Ciência, Tecnologia e Inovação (Seinc), da Cultura e Turismo (Sectur), da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) uniram esforços com o vice-governador Carlos Brandão para realizar uma reunião com grupos empresarias e instituições públicas de ensino, além de órgãos como a FIEMA, SEBRAE e EMBRAPA Cocais a fim de tratar do fomento às estratégias econômicas e comerciais entre o Maranhão e estes países asiáticos.

“Pode causar estranheza, em princípio, mas o Vietnã é membro da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), comunidade econômica composta por dez países, com uma população de 620 milhões de habitantes e Produto Interno Bruto (PIB) de 2,5 trilhões de dólares. Por isso, acessar o mercado vietnamita significa ter a oportunidade de acessar o terceiro maior mercado da Ásia, atrás apenas de China e Índia” contextualizou o secretário Pierre Januário, da Sepe.

Marcelo Brasil, da direção do grupo Potiguar, ressaltou que o mercado chinês é um espaço em que se pode comercializar quase tudo. “Com exceção de alimentos, existem muitas vantagens dos produtos chineses sobre os nacionais, como o preço. Redes varejistas e atacadistas podem se beneficiar da competitividade que a entrada de produtos chineses pode causar em nosso país, auxiliando no controle da inflação”. O grupo Potiguar mantém relações comerciais com a China há seis anos.

Além da expertise que alguns dos empresários e instituições estaduais e federais já possuem em comércio exterior – facilitando a troca de informações entre os presentes -, a boa notícia do encontro se deu por conta da declaração feita pelo vice-governador Carlos Brandão, que também é presidente do Conselho Administrativo da Emap, ao destacar que a Empresa entregará em breve novo Terminal de Contêiner.

“As obras dos pátios G e H estão avançando e devem ser finalizadas até novembro deste ano”, situou Brandão, que também dialogou sobre a importância de se investir em educação, ciência, tecnologia e inovação e energias limpas no comércio com a China, Coreia do Sul e Vietnã.

O prefeito de São Mateus do Maranhão, Miltinho Aragão, que acompanhou a reunião com o vice-prefeito Ivo Rezende, elogiou a iniciativa do governo do Estado em buscar o engajamento entre organizações privadas e setores públicos para atrair investimentos e crescimento das exportações maranhenses.

“Estou animado porque em meio a tanta crise financeira encarada pelo nosso país, posso falar aos colegas prefeitos que o Maranhão está sendo descoberto. Eu nunca imaginei que nós poderíamos ter tanta potencialidade como hoje foi demonstrado. A riqueza desse estado é impressionante”, afirmou Miltinho.

Os debates também avaliaram a abertura que os três países asiáticos possuem para receber exportações de empresas maranhenses, tanto para consumo interno quanto para servir como ponte para os países vizinhos.

O Maranhão e a Ásia – Segundo a Sepe, desde 2015, o Maranhão por duas vezes recebeu a visita oficial do embaixador do Vietnã. Na segunda visita, foi entregue uma carta de intenções com possíveis áreas e projetos para cooperação entre as partes, com ênfase na produção de arroz, peixe e camarão, setores de muita movimentação financeira no país. Neste ano, o governo também recebeu visita oficial do embaixador da Coreia do Sul. A China é outro país que com largo diálogo comercial com o Maranhão, o que facilita todas as investidas maranhenses.

Além disso, a Ásia é o maior dos continentes, tanto em área quanto em população. O continente também apresenta os maiores índices de crescimento econômico durante as últimas décadas. Segundo as projeções do Banco Mundial para 2017, a previsão é que a região cresça 6,2%, considerando a desaceleração econômica dos países.

A história de desenvolvimento desses países também é impressionante. Em sua maioria, eram classificados como subdesenvolvidos até a década de 1980 e hoje alcançam notórias posições nos rankings de desenvolvimento globais. As estratégias adotadas pelo vice-governador Carlos Brandão podem ser vistas como importantes alternativas para o desenvolvimento do estado do Maranhão.

 

FONTE: ASCOM/VICE-GOVERNADORIA

Você pode gostar...