HOLANDA SE VINGA DA ÚLTIMA FINAL E GOLEIA A ESPANHA NA FONTE NOVA.

Espanha x Holanda

Espanha x Holanda

SALVADOR – Salvador – A Holanda pareceu ter todos os santos da Bahia a seu favor na sexta-feira 13, dia estigmatizado pela crendice popular. Com a torcida local reforçando a marcação ao atacante Diego Costa, o time dirigido por Louis van Gaal estreou na Copa do Mundo do Brasil com uma vitória por 5 x 1 sobre a atual campeã Espanha, de virada, e exorcizou o fantasma da derrota para o mesmo adversário no último Mundial.

Desde o princípio da reedição da final de 2010, a Holanda contou com um reforço na sua marcação sobre Diego Costa, que não recebeu perdão do público da Arena Fonte Nova por ter escolhido a Espanha para defender. O primeiro resultado elástico da Copa do Mundo de 2014 deixou a Holanda com três pontos e na liderança do grupo B, que também conta com Chile e Austrália. Os holandeses tentarão dar sequência ao bom momento contra os australianos, às 13h (de Brasília) da quarta-feira, 18, no Beira-Rio. No mesmo dia, mas às 16h, os espanhóis buscarão a reação contra os chilenos, no Maracanã.

O jogo – A torcida brasileira presente na Arena Fonte Nova se dividiu no apoio para Espanha e Holanda e se uniu contra Diego Costa. O atacante foi vaiado desde o momento em que a sua foto apareceu nos telões do estádio, no anúncio das escalações das duas equipes. Bem marcado pelo público e pelos holandeses, ele sofreu uma falta já no primeiro lance da partida.

Aos sete, o carrasco brasileiro Wesley Sneijder quase abriu o placar. O meia do Galatasaray foi lançado por Robben, que aproveitou uma falha de Jordi Alba, e correu sozinho ao encontro de Casillas. O goleiro fez grande defesa para evitar o primeiro gol do jogo.

Aos poucos, no entanto, a Espanha passou a se impor e a ganhar terreno e aproveitou o melhor momento diante para marcar o seu primeiro gol no Mundial do Brasil. Aos 26 minutos, Diego Costa – justo ele – recebeu um ótimo passe de Xavi dentro da área, cortou De Vrij e acabou derrubado. Pênalti, segundo o árbitro Nicola Rizzoli. Xabi Alonso cobrou no canto, sem se importar com as reclamações do time adversário, e o goleiro Cillesen não alcançou.

Aos 42 minutos, Iniesta fez uma bela enfiada de bola para David Silva, que se infiltrou no meio da marcação holandesa e só não marcou o gol por cobertura porque Cillesen se manteve frio para interceptar.

Quando tudo indicava que o panorama favorável à Espanha se estenderia até o intervalo, a Holanda mudou os rumos do jogo. Blind fez grande lançamento um minuto após David Silva desperdiçar a sua oportunidade de gol. Van Persie se esticou para cabecear a bola por cima de Casillas e acertar a rede.

Holanda segue melhor -A reação holandesa teve sequência sob garoa no segundo tempo. Aos sete minutos, virou a partida. Blind fez mais um lançamento preciso, desta vez para Robben. O jogador do Bayern de Munique cortou Piqué dentro da área e bateu cruzado para ser ovacionado. O gol entusiasmou definitivamente a Holanda. Aos 18 minutos, Sneijder cobrou uma falta contestada pelos espanhóis com efeito. Casillas saiu mal e trombou com Van Persie, deixando a bola para De Vrij empurrar para dentro na segunda trave. Aos 27 minutos, Van Persie tomou a bola do goleiro e completou para o gol vazio. Em seguida, Robben arrancou em velocidade e teve calma para estufar a rede de novo.

Robben poderia ter feito mais gols, se Casillas não se recuperasse com algumas boas defesas nos minutos finais da partida. Àquela altura, a torcida já se dava por satisfeita, divertindo-se com o movimento de “ola” e gritos de “olé”. Até os torcedores holandeses aderiram ao coro criado pelos brasileiros para insultar o conterrâneo Diego Costa – um dos muitos espanhóis que ganharam um grande motivo para começar a acreditar nas crendices de sexta-feira 13.

Você pode gostar...