O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, em Porto Alegre, julga nesta quarta-feira(24) condenação do ex-presidente Lula.

Petista durante caravana pelo Brasil.

PORTO ALEGRE/RS – O ex-presidente Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no valor de R$ 2,2 milhões a 9 anos e 6 meses de prisão no processo envolvendo o triplex do Guarujá. A decisão, de julho do ano passado, considerou que havia provas de que o imóvel era parte da propina destinada ao petista pela empreiteira OAS. Foi a primeira vez que um ex-presidente da República sofreu condenação por crime comum no Brasil. Lula nega que tenha aceitado o imóvel da construtora e apela por sua absolvição.

O ex-presidente será julgado pela 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) a partir das 8h30 desta quarta-feira, 24. Os desembargadores Gebran Neto, relator do caso, Leandro Paulsen e Victor dos Santos Laus decidirão o futuro de Lula. Se a decisão do juiz Sérgio Moro for mantida, Lula pode ficar inelegível e ter prisão decretada. 

Sessão

O julgamento deve começar às 8h30min (horário de Brasília) e será analisado por três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4: João Pedro Gebran Neto, que será o relator, Leandro Paulsen, presidente da 8ª Turma e revisor do caso, e Victor dos Santos Laus, decano da Turma.

O petista não estará na sessão, mas participará de atos na capital gaúcha. Estarão no TRF-4 representantes do Ministério Público Federal (MPF) e outros servidores públicos envolvidos no julgamento.

Além dos advogados de Lula, também vão ao local os advogados de José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS condenado a 10 anos e 8 meses de prisão, a defesa de Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ex-diretor da área internacional da empreiteira e condenado a 6 anos de cadeia, representantes de Paulo Okamotto, ex-presidente do Instituto Lula e absolvido em primeira instância, e de três diretores da empresa OAS: Paulo Roberto Gordilho, Roberto Moreira Ferreira e Fábio Hori Yonamine, todos absolvidos por Moro.

Após o início da sessão, João Pedro Gebran Neto irá ler o relatório do processo. Em seguida, a acusação, representada pelo procurador Mauricio Gerum, apresentará argumentos da acusação durante 30 minutos. Depois, será a vez dos advogados, cada um terá até 15 minutos para a defesa dos réus.

Você pode gostar...