Palestra sobre Outubro Rosa é realizada na PGJ.


Promotora de justiça de Defesa da Saúde, Glória Mafra.

SÃO LUÍS/MA – O Ministério Público do Maranhão promoveu, na manhã desta quarta-feira, 10, no auditório da Procuradoria Geral de Justiça, em São Luís, a palestra “16 anos de Outubro Rosa. O que mudou?”, ministrada pela promotora de justiça de Defesa da Saúde, Glória Mafra.

Ela traçou um histórico sobre a campanha de conscientização cujo objetivo é alertar as mulheres sobre a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. As campanhas acontecem no Brasil desde 2002 e as de colo do útero desde 2011. “É preciso discutir o tema, levar informações para que as ações do Outubro Rosa não sejam apenas datas festivas”.

Na avaliação da titular da Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde, a política de saúde precisa conter a prevenção, tratamento e acompanhamento e, necessariamente, refletir o que fazer para melhorar o que nós temos.

Em relação ao autoexame nos seios, é importante que seja feito mas não significa que a mulher possa ficar tranquila sem fazer a mamografia e demais avaliações indicadas pelo médico. Mafra alertou as mulheres sobre os riscos da terapia hormonal que podem, inclusive, contribuir para o câncer de mama. “Deve ser feita por um período muito curto e controlado. O mesmo se aplica às medicações de terapias antienvelhecimento, que são feitas com hormônios”.

Nesse aspecto, Glória Mafra sugeriu aos presentes que tenham hábitos saudáveis, prática de atividade física e alimentação controlada. “As mulheres devem ficar atentas para fatores de predisposição, como outros casos na família, obesidade e, além disso, fazer acompanhamento com endocrinologista a fim de acompanhar as taxas hormonais”.

A representante do MPMA também informou que está realizando um trabalho de monitoramento sobre as condições dos aparelhos de mamografia em todo o Maranhão a fim de garantir que os equipamentos estejam calibrados e com insumos dentro da validade. “Não basta incentivar as mulheres a realizarem a mamografia se os equipamentos estiverem desregulados, comprometendo a precisão dos exames”, afirmou Glória Mafra.

Palestras e encontros sobre saúde fazem parte do Programa de Qualidade de Vida no Trabalho. Na avaliação do diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais, Marco Antonio Santos Amorim, “a palestra foi excelente. Um tema atual, que interessa a todos e tratado de forma dinâmica. Sem dúvidas, um momento esclarecedor para membros e servidores.”

Além dos servidores, estiveram presentes os promotores de justiça Emmanuel Guterres Soares (diretor-geral da PGJ), Ilma de Paiva Pereira (coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde) e Paulo Silvestre Avelar Silva (diretor das Promotorias de Justiça da Capital).

 

(FONTE: CCOM-MPMA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *