PF identifica invasão nos celulares de presidentes de STJ, Câmara e Senado; PGR também foi alvo

Rodrigo Maia, Alcolumbre e Dodge.

BRASÍLIA – Polícia Federal identificou os aparelhos dos presidentes da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, dentre os celulares de autoridades alvos de invasão de hackers.

Nesta quinta-feira (25), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, foi avisado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sobre ataques hackers a aparelhos de ministros do tribunal.

Investigadores da Polícia Federal informaram na quarta-feira (24) que têm condições de afirmar, com base na apuração prévia, que aproximadamente mil diferentes números telefônicos foram alvos do mesmo método utilizado para invadir o celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Quatro suspeitos de envolvimento na invasão de celulares de autoridades foram presos na última terça-feira (23). São três homens e uma mulher, detidos na Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

No caso de Rodrigo Maia, embora o celular tenha sido invadido, não há indícios de captura de dados, segundo investigadores. O presidente da Câmara desconhecia a invasão e disse que não foi informado a respeito. “Ainda não fui notificado”, afirmou à TV Globo. Mais tarde, a assessoria de Maia informou que ele não utiliza o aplicativo Telegram e que teve conhecimento do suposto hackeamento pela imprensa.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, se disse indignado. “Recebi a informação de que meu aparelho de celular teria sofrido tentativa de hackeamento. Embora tranquilo, pois não tenho nada a esconder, manifesto minha indignação com a invasão de minha privacidade e não posso deixar de reafirmar minha repulsa às atividades desses criminosos virtuais, pois elas também representam uma afronta aos Poderes da República e à população brasileira”, declarou por meio de nota.

João Otávio de Noronha afirmou que recebeu na tarde desta quinta-feira (25) uma ligação do ministro da Justiça, Sérgio Moro, avisando que ele está na lista das autoridades hackeadas. “Estou tranquilo porque não tenho nada a esconder. E também usava muito pouco o Telegram”, afirmou Noronha.

A assessoria da Procuradoria Geral da República informou que a procuradora-geral Raquel Dodge também foi alvo de tentativa de invasão de celular. O setor de tecnologia de informação da PGR identificou a tentativa e informou as autoridades. No caso de Dodge, a tentativa teria ocorrido há mais de um mês.

Nesta quinta-feira, o ministro Sérgio Moro afirmou em uma rede social, que o Ministério da Justiça e a Polícia Federal (PF) vão identificar as centenas de vítimas e informá-las sobre as invasões, sejam elas autoridades ou não.

Mais cedo, o Ministério da Justiça informou que celulares do presidente Jair Bolsonaro também foram alvos de invasão de hackers.

Por meio de nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que Bolsonaro foi “devidamente comunicado” sobre o fato por uma “questão de segurança nacional”.

A nota não informa se os hackers conseguiram obter alguma informação dos aparelhos usados pelo presidente.

“Não estou nem um pouco preocupado se porventura algo vazar aqui no meu telefone. Não vão encontrar nada que comprometa. Perderam tempo comigo”, declarou Bolsonaro nesta quinta em Manaus.

(FONTE: G1MA)

Você pode gostar...