Policia Prende oito suspeitos de envolvimento na morte de italiano em Paço do Lumiar.

BANDIDOS PRESOS.

PAÇO DO LUMIAR/MA – A Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) efetuou, nesta quarta-feira (3), a prisão de oito suspeitos de participação no assassinato do italiano Carmelo Mario Calabrese, de 65 anos. O crime ocorreu no dia 7 de março, no bairro Alto do Laranjal, em Paço do Lumiar.

De acordo com a SHPP, o latrocínio foi praticado por Arthur Silva Rocha, o “Xita”, Anderson Soares Paulino, o “Lourinho”, Milena Conceição Santana e Cleudilene Silva Fonseca, conhecida como “Chinesinha”.

A polícia confirmou também o envolvimento indireto de Airton da Cruz Silva, o “Escaringa”, Lucas Sá Menezes Silva, o “Luquinha”, Manoel de Jesus Gomes da Silva e Lucas Mateus Alves da Conceição, conhecido como “Piupiu”, na tentativa de apagar provas do crime e na receptação de objetos.

“No interior da residência do Carmelo, existiam indícios de que teria acontecido alguma coisa muito grave lá. Após investigações, chegamos aos autores diretos e cumprimos os mandados de prisão temporária de 30 dias. Eles já estão respondendo por latrocínio e também serão autuados em flagrante por organização criminosa”, afirmou o delegado Jeffrey Furtado, em entrevista coletiva.

O assassinato do italiano

O italiano Carmelo Mário Calabrese, de 65 anos, desapareceu no dia 7 de março deste ano, no bairro Alto Laranjal, em Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís. No dia 8, o corpo dele foi encontrado por pescadores boiando no rio Tibiri, em São Luís.

O corpo do Carmelo Calabrese foi identificado, no dia 11 de março, por amigos e vizinhos. As primeiras investigações encontraram marcas de sangue no banheiro da casa onde ele vivia e toda a área foi isolada.

Morador de Paço do Lumiar há 25 anos e sem familiares no Brasil, o italiano pensava em deixar o bairro, pois já tinha sido assaltado três vezes. Desde o início das investigações, a SHPP trabalhava com a hipótese de que Carmelo Mário Calabrese tinha sido vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). A residência estava com objetos espalhados, e foram encontrados rastros de sangue do banheiro até a garagem onde estava o carro da vítima.

Delegado Jeffrey Furtado, em entrevista coletiva.

Você pode gostar...