Prefeito de Tutóia Romildo do Hospital é afastado pela Câmara de Vereadores.

Romildo Damasceno ( Prefeito de Tutoia).

TUTÓIA/MA – Em uma sessão muito tumultuada a Câmara Municipal da cidade Tutoia- MA,cidade distante 322 km da capital, afastou agora apouco o prefeito, Romildo Damasceno, até que seja dada por finalizada a investigação da CPI da Saúde, que foi instaurada pela Câmara de vereadores do Município, onde tem como presidente da comissão , a Vereadora Jamilza Baquil (PR). 

Pelo voto favorável de 10 dos 13 vereadores o prefeito de Tutóia é afastado do cargo por 15 dias sob a alegação de irregularidades encontradas na gestão dos recursos do SUS-Sistema Único de Saúde na gestão de Romildo do Hospital (PSDB). 

Veja como votou cada um dos vereadores:

Isaias Porto e Paulinho Caldas, contra o afastamento. Raimundo Sintraf optou pela abstenção.

Gleison do Carlito, Nelinho Ribeiro, Wiliam Silva, Jamilza Baquil, Dr. Cassiano, Nilson Santos, Ze de Mar, Paulo Rogério, Viriato e o presidente da Casa, Raimundinho da Seriema votaram pelo afastamento cautelar do prefeito.

Com o afastamento a vice-prefeita Helenice Barroso será empossada na manhã desta terça-feira (28) e passa a ser a primeira mulher a assumir o executivo de Tutóia, ainda que provisoriamente.

Segundo o relatório da CPI- Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida pela vereadora Jamilza Baquil, o prefeito obstruiu o trabalho da CPI e ainda tentou impedir que servidores do hospital fossem depor.

Na rede social há comentários de toda natureza, a maioria elogiando a ação do parlamento e alguns que dizem que o prefeito vai reverter a situação em tempo curto com decisão de liminar.

O fato é que há grande possibilidade de Romildo do Hospital ser afastado definitivamente do cargo, ou seja, ter o mandato cassado. Entretanto, é quase certo que, simultaneamente, amanhã a vice será empossada e o prefeito entra com ação na justiça pedindo a derrubada da decisão da Câmara.

O blog ouviu alguns parlamentares como Jamilza Baquil, Paulo Rogério e Viriato e eles dizem que os trabalhos da CPI vão continuar e que trata apenas de um afastamento provisório e quando finalizada a investigação a Casa deve tomar a decisão de se cassa ou não o prefeito.

Ouvimos também advogados, e há aqueles que acreditam que o rito seguido pelo parlamento foi correto, mas há aqueles que dizem que o prefeito consegue reverter na justiça. Resta aguardar o desfecho da questão, que deve durar pelo menos 45 dias ou mais, para sua conclusão de fato. 

POPULAÇÃO TOTUENSE NA FRENTE DA CÂMARA DE VEREADORES.

TUMULTO NA FRENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE TUTÓIA.

 

Você pode gostar...