Secretário destaca importância de enfrentar o crime organizado que ataca lideranças indígenas e defensores dos Direitos Humanos

SECRETÁRIO JEFFERSON PORTELA COM INTEGRANTES DOS DIREITOS HUMANOS.

MARANHÃO – O secretário dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, esteve, durante todo o sábado (02), em Imperatriz, Amarante e na Terra Indígena Arariboia, acompanhado de Jefferson Portela, secretário de Segurança.
Eles acompanharam diretamente os trabalhos das Polícias Civil e Militar na identificação dos responsáveis pela emboscada aos guardiães Paulo e Laércio Guajajara. As forças policiais fizeram o resgate do corpo de Paulo Paulino Guajajara, que será enterrado na aldeia de sua família.

Segundo Francisco Gonçalves, eles acompanharam, ainda, o atendimento da equipe do Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos, que está dando todo o suporte a Laércio Guajajara. Para ele, é necessário o enfrentamento do crime organizado que ataca diariamente os territórios indígenas. Esse posicionamento foi defendido por ele no Vaticano recentemente.

“Respondi, recentemente, ao embaixador brasileiro na Cúpula dos Governadores da PanAmazonia, no Vaticano, que não tem como proteger os defensores dos direitos humanos, as lideranças indígenas, sem o enfrentamento do crime organizado, que ataca diariamente os territórios indígenas por madeira, minerais e biopirataria”, disse. Francisco Gonçalves acrescente que o Governo do Maranhão está fazendo a sua parte constitucional. “É preciso q o Governo Federal faça a sua, sem ignorar os pedidos de ajuda, solicitação de ação e oferta de colaboração. #DireitosHumanos #PovosIndigenas”, conclui o secretário.

Você pode gostar...