SECRETARIO JEFFERSON PORTELA DA ENTREVISTA NA MIRANTE E EXPLICA TRANSFERÊNCIA DE MILITARES.

SECRETARIO JEFFERSON PORTELA.

SECRETARIO JEFFERSON PORTELA.

MARANHÃO – O secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, concedeu uma entrevista nesta manhã de quarta-feira (04) na Rádio Mirante AM, ao jornalista Roberto Fernandes, onde esclareceu alguns tópicos entre tantos assuntos, comentou a transferência de policiais militares, classificadas por alguns deputados, como perseguição a lideranças da categoria. O secretario Jefferson Portela, deixou claro que a transferência de alguns militares, é uma decisão do comando da Polícia Militar e que mesmo os representantes classistas precisam entender que sempre existirá uma hierarquia e precisará sempre ser respeitada.

“Essas remoções foram tomadas pela hierarquia militar. Aqui tem muita coisa equivocada, pois outro dia trouxemos militares para trabalhar na capital e foi uma reclamação. O policial militar é do Maranhão e pode ser deslocado daqui para lá e de lá para cá. É preciso que se esclareça que uma dessas transferências já estava decidida anteriormente, mas não havia sido feito por conta de uma liminar que caiu agora e a transferência foi efetivada. Outros estão sendo removidos pelo comando da PM e se existe perseguição, o caminho é o Poder Judiciário. É bom lembrar que existe um comando e o comando não se dissolve na presença de representação classista”, afirmou Portela.

Durante a entrevista, Jefferson Portela também deixou claro que não gosta e nem concorda com à divulgação de estatística mensal sobre os índices de criminalidade no Maranhão. O secretário entende que seria melhor fazer isso apenas anualmente.

“Profissionalmente eu nunca tento priorizar nada de estatística porque eu acho até não tão produtivo do ponto de vista da construção que se quer a divulgação mensal de estatística. Ela não aponta uma continuidade para o ano. Nós tivemos aqui uma redução de homicídios muito forte em julho de quase 40% e tivemos um aumento em agosto, porque isto não era a tendência, era o número de um mês. Então, a estatística para mim, o conjunto dela deve ser anual. Doutrinariamente eu entendo que é assim. Você tem a análise de um ano e compara com o outro ano. Não adianta a gente querer exagerar com a divulgação até para ter dados positivos exagerando com a estatística porque ela pode revelar no momento a redução de um crime e pode apontar para a elevação de outro”, declarou.

O secretário Jefferson Portela, de maneira lúcida demonstrou ter plenas consciências dos problemas, muitos já encontrados, e resolvidos e sempre disposto a enfrenta-los.

 

Você pode gostar...