SES descarta surto de meningite no Maranhão e alerta população para novos caso

Secretaria de Estado da Saúde (SES) descartou surto de meningite no Maranhão.

MARANHÃO – A Secretaria de Estado da Saúde (SES) descartou nesta quarta-feira (29) a possibilidade de surto de meningite no Maranhão. A SES afirma que não há vinculo epidemiológico entre os casos que foram registrados esta semana e que caracterize surto da doença.

Em quatro dias, dois casos de meningite foram notificados em São Luís e causaram pânico na população. De acordo com o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) os dois casos notificados foram registrados nos municípios de São José de Ribamar e em Paço do Lumiar, na Região Metropolitana da capital.

O primeiro caso é de uma criança de quatro anos que vive no bairro Araçagy em São José de Ribamar, que deu entrada no último dia 23 de maio em um hospital particular de São Luís. Após testes laboratoriais, foi confirmado o diagnóstico de meningite viral. A SES informou que o estado da criança é estável e todos os sintomas estão sendo tratados, mas ainda não há previsão de alta.

A segunda notificação foi registrada na segunda-feira (27). A mulher de 24 anos, que não teve o nome revelado, deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade Operária com fortes dores de cabeça, náuseas e rigidez na nuca. A jovem segue sob cuidados médicos e a SES aguarda o resultado dos exames laboratoriais.

Segundo a SES, a Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios estão em alerta, acompanhando todos os casos notificados e realizando procedimentos de prevenção e controle.

Meningite no Maranhão

Em 2019, a Secretaria de Saúde do Maranhão (SES) já registrou 124 casos suspeitos de meningite, sendo 44 casos confirmados após exames laboratoriais. Segundo a secretaria, 13 pessoas morreram no estado por conta da doença, sendo cinco mortes somente em São Luís.

A SES alerta a população que por conta do período chuvoso que ocorre no Maranhão, aumentam as chances do aparecimento de doenças respiratórias como meningite e influenza. Por conta disso, a Superintendência de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, alerta professores de escolas, creches e funcionários de ambientes com muita aglomeração para adotar medidas de prevenção.

O que é meningite?

A meningite é um processo inflamatório das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença pode ser causada por bactérias, vírus, fungos e parasitas ou por infecções. As meningites virais e bacterianas são consideradas as mais importantes, já que podem ocasionar surtos.

A doença é transmitida pelo contato direto e prolongado por meio das secreções respiratórias entre pessoas infectadas, assintomáticas. Entre os sintomas, estão dores de cabeça, febre alta, vômitos, rigidez na nuca, pequenas manchas avermelhadas na pele. Em crianças menores de um ano, irritações e choro constante são sintomas da meningite.

No Brasil, a meningite é considerada uma doença endêmica, ou seja, com a expectativa de notificação de casos durante o ano, sendo esperados casos de meningite bacteriana durante o inverno e das virais no verão.

Tratamento

Após a constatação de alguns sintomas, os pacientes devem procurar imediatamente atendimento médico para a realização de exames laboratoriais que confirmem a doença. Assim que confirmado, o caso deve ser notificado à Vigilância Epidemiológica Municipal para medidas de controle imediato.

Segundo a SES, a vacinação contra meningite para bloqueio está indicada em situações em que haja a caracterização de surto da doença.

Você pode gostar...