STF decide manter delegado Tiago Bardal preso

Delegado Tiago Matos Bardal.

MARANHÃO – O Superior Tribunal de Justiça, (STF) negou pedido de habeas corpus impetrado pelos advogados do delegado Tiago Matos Bardal.

Ele está preso desde do ano passado quando foi acusado de fazer parte de uma quadrilha de contrabandistas que agia em São Luís, utilizando o Porto do Arraial, na Zona Rural do bairro Quebra Pote, para descarregar cigarros e whiskies. 

Além disso ele responde também pela acusação de fazer parte de uma quadrilha de assaltantes de banco. De acordo com as investigações, Thiago Bardal e outros policiais municiavam os criminosos com informações privilegiadas sobre operações policiais e transporte de valores.

O grupo de Bardal dava cobertura para que o bando pudesse escapar de perseguições policiais. Pelo trabalho, ele receberia algo em torno de R$ 100 mil reais mensais pagos pela quadrilha.

Homem bomba

Não é a primeira vez, desde que está preso, que Tiago Bardal tem pedido de liberdade negado pela Justiça. Ele já havia tentado conseguir um habeas corpus pelo Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão e também teve o pedido indeferido pelos desembargadores.

Bardal tem sido, juntamente com o delegado Ney Anderson, um dos precursores de denúncias contra o secretário de segurança Jefferson Portela.  Ele garante que teria feito escutas não autorizadas para monitorar juízes, desembargadores e procuradores por determinação de Portela.

O secretário rebate as acusações e a polêmica deve ter novos desdobramentos em depoimentos que estão marcados na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, atendendo requerimento do deputado federal e ex-secretário de segurança Aluísio Mendes. Na semana passada, Jefferson Portela e Aluísio Mendes trocaram ofensa e acusações esquentado mais o clima para a audiência que tratará do assunto na Câmara Federal.

 

(FONTE: Silvan Alves)

Você pode gostar...