ATENÇÃO MOTORISTAS: Ponte sobre Estreito dos Mosquitos vai passar por reparos e será interditada.

PONTE DE ESTREITO DOS MOSQUITOS ( PONTE MARCELINO MACHADO ).

SÃO LUÍS/MA – De 27 de novembro a 22 de dezembro serão realizadas obras de manutenção e reparos na ponte Marcelino Machado, sobre o Estreito dos Mosquitos, que faz a ligação terrestre entre a Ilha de São Luís e os demais municípios maranhenses. As rachaduras na ponte foram denunciadas por O Estado
no dia 5 de outubro do ano passado.

Ontem, haviam andaimes sob a ponte e o canteiro do obras estava instalado. Foram colocados parafusos na estrutura e conforme o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – Superintendência Regional no Estado do Maranhão (Dnit), durante o período das obras, o tráfego para a capital será feito pela ponte que fica ao lado, até que sejam concluídas as obras de manutenção. O Dnit recomenda aos usuários, que transitem com atenção, respeitando a sinalização vertical refletiva no turna e a horizontal, que existe no local.

Vistoria

Em 18 de novembro do ano passado, técnicos do Dnit, de Brasília vieram a São Luís para realizar uma vistoria na Ponte Marcelino Machado, sobre o Estreito dos Mosquitos. O trabalho foi realizado por um engenheiro projetista especialista em pontes, enviado pela Coordenação Geral de Manutenção e Restauração Rodoviária.
Após a vistoria, o órgão constatou que não havia riscos para os usuários da rodovia que trafegam pela ponte. Entretanto, considerando a deformação do tabuleiro (laje), que provoca a elevação das cargas móveis atuantes, as manifestações patológicas (deformações) encontradas e ainda, as intervenções já realizadas na estrutura da ponte, o Dnit decidiu pela contratação de empresa, em caráter emergencial, para execução de reforços na estrutura dos dois vãos.

Rachadura

Após a denúncia feita por O Estado sobre a rachadura sob a Ponte Marvigas fixas. Não por acaso, a rachadura surgiu no local onde termina a nova armação. Além da rachadura, partes de ferro da estrutura da ponte também estavam enferrujadas e corroídas, devido à ação do salitre. Isso contribui
para o agravamento do problema. Marcelino Machado, em 5 de outubro de 2016, o Crea-MA ressaltou que seria necessária uma vistoria in loco para definir a gravidade da situação.

Em 27 de outubro do ano passado, o Crea-MA, Defesa Civil Estadual e Corpo de Bombeiros vistoriaram a ponte e disseram que a situação é preocupante, que a construção estava comprometida e que, se algo não fosse feito imediatamente, a estrutura poderia ir a colapso.
Conforme as análises, o fluxo de carros maiores, tais como carretas e bitrens, estaria contribuindo para que a rachadura aumentasse ainda mais, por causa da trepidação no local, bem maior do que em outras partes da ponte.

Os engenheiros explicaram que a restauração da ponte, ocorrida de 2004 a 2006, mudou a estrutura da obra. Antes existiam vigas com vários suportes que se equilibravam e absorviam a trepidação dos veículos que passavam no local. Depois
da reforma, foram colocadas vigas fixas. Não por acaso, a rachadura surgiu no local onde termina a nova armação.
Além da rachadura, partes de ferro da estrutura da ponte também estavam enferrujadas e corroídas, devido à ação do salitre. Isso contribui para o agravamento do problema.

Confira a nota do Dnit na íntegra:

Em virtude dos serviços emergenciais de recuperação da Ponte Marcelino Machado (sobre o Estreito dos Mosquitos – sentido entrada de São Luís – BR-135/MA), que vêm sendo executados desde o mês de julho deste ano, o Dnit informa que:

1- O tráfego de veículos na ponte Marcelino Machado será interrompido no período de 27 de novembro a 22 de dezembro de 2017. Todo o tráfego será realizado pela ponte da direita (sentido saída de São Luís).

2- Nessa fase das obras, a interdição é necessária para que possam ser realizados os serviços de protensão com macacos hidráulicos das cordoalhas (cabos de aço) e o envelopamento com concreto das cordoalhas. Estes serviços só podem ser executados sem tráfego sobre a ponte, de modo a obedecer às normas técnicas e evitar o aparecimento de efeitos patológicos deletérios (trincas e rachaduras) nos serviços a serem executados.

3- O trecho será devidamente sinalizado e a orientação do trânsito contará com o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

4- Para a segurança dos usuários, recomenda-se atenção às placas de sinalização de desvio do tráfego e respeito ao limite de velocidade.

 

(FONTE: DNIT) 

Você pode gostar...