AVÓ ESFAQUEIA ENFERMEIRA DENTRO DE HOSPITAL APÓS MORTE DE BEBÊ, DIZ PM.

Mulher foi presa ainda no hospital, após ter esfaqueado enfermeira em Campos, RJ.

Mulher foi presa ainda no hospital, após ter esfaqueado enfermeira em Campos, RJ.

RIO – A avó de um bebê invadiu um hospital de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, e esfaqueou uma enfermeira poucos dias após a criança recém-nascida morrer dentro da unidade de saúde. O caso foi no início da manhã desta segunda-feira (8) no Hospital dos Plantadores de Cana, no Centro de Campos. Segundo informações da Polícia Militar, a agressora contou, ainda no local do crime, que o neto havia morrido e a filha permanecia internada na unidade. A enfermeira agredida levou duas facadas e é responsável pela UTI Neonatal. Ela foi encaminhada para o Hospital Ferreira Machado, mas não corre risco de morrer.

Segundo informações de testemunhas, Claudeia Ribeiro Jurdino Sampaio, de 44 anos, entrou no hospital e afirmou que queria ir até a ouvidoria, que fica no mesmo andar da UTI Neonatal. Após entrar na unidade, a mulher foi direto para a UTI. Ao chegar lá, procurou pela enfermeira Pâmela da Costa Araújo, de 31 anos, que estava no local, e começou as agressões com a faca. Pessoas que estavam perto correram e houve uma grande confusão. Os seguranças conseguiram tirar a faca da mão da agressora e trancá-la em uma sala até a chegada da polícia. Claudeia Sampaio foi presa e saiu do local algemada. A faca usada no crime também foi apreendida. Ela foi levada para a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), responsável pelo registro da ocorrência.

A enfermeira recebeu os primeiros atendimentos no Hospital dos Plantadores de Cana antes de ser encaminhada ao Ferreira Machado, que atende casos de urgência e emergência. O hospital informou que a vítima foi atingida no braço esquerdo e no lado esquerdo do abdome. Ela está internada no repouso e o estado de saúde é estável. Em nota, a  direção do Hospital Plantadores de Cana (HPC) informou que a direção está aguardando a apuração da polícia.

 

FONTE: GLOBO-G1

 

Você pode gostar...