CÂMARA DE BACURI EMPOSSA NOVO PREFEITO.

Prefeito de Bacuri, José Baldoino da Silva Nery e vice-prefeito de Bacuri, Richard Nixon Monteiro dos Santos.

Prefeito de Bacuri, José Baldoino da Silva Nery e vice-prefeito de Bacuri, Richard Nixon Monteiro dos Santos.

BACURI – Com o afastamento de José Baldoino da Silva, o vice-prefeito de Bacuri, Richard Nixon Monteiro dos Santos, tomou posso como prefeito da cidade, nesta sexta-feira (19), em cerimônia realizada na Câmara dos Vereadores. O novo chefe do executivo municipal, Richard Nixon,  substitui o prefeito  José Baldoíno, que foi afastado do cargo por 180 dias, após decisão do Poder Judiciário, movido pelo Ministério Público, através de uma Ação Civil Pública,  por ato de improbidade administrativa, em função de eventuais fraudes no transporte escolar.

A decisão atinge, ainda, o presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL), Gersen James Correia Chagas; a secretária da CPL, Flávia Regina Assunção de Azevedo; a integrante da CPL, Maria José dos Santos Nascimento; o pregoeiro Wagno Setubal de Oliveira e o integrante da equipe de apoio Raimundo Nonato Amorim.

Propôs a ação a promotora de justiça Alessandra Darub Alves, titular da Comarca de Bacuri. A decisão é do juiz Marcelo Santana Farias.

O Ministério Público sustentou que a permanência dos acusados nas mesmas funções e cargos acarretaria risco para a instrução processual, pois poderiam dificultar a obtenção de provas, além de influenciar testemunhas.

A Promotoria de Justiça de Bacuri requereu cópia, em julho deste ano, de todos os contratos de prestação de serviço de transporte escolar firmado pelo Município. Mesmo assim, os documentos não foram encaminhados ao MPMA.

Além disso, o Ministério Público destacou que os acusados forjaram a licitação de 2014, fazendo-a de forma retroativa. Para concretizar esse objetivo, eles teriam falsificado a assinatura de um advogado que prestou serviços ao Município de Bacuri.

Entenda – Em abril deste ano, oito estudantes morreram no município de Bacuri, quando eram transportados da escola para casa em uma caminhonete improvisada, que bateu de frente com um caminhão carregado de pedras e caiu em uma ribanceira, na MA-303, no interior do Estado.   Outros oito alunos, de um total de 30 que estavam no veículo, ficaram feridos. De acordo com as investigações, um menor de idade dirigia no momento do acidente.

 O juiz Marcelo Farias já havia determinado o bloqueio dos bens do prefeito José Baldoíno  e de mais oito pessoas indiciadas pela morte e lesão corporal dos estudantes após investigação do Ministério Público do Maranhão (MP-MA) apontar fraudes da comissão de licitação do município referentes à prestação de transporte escolar.

 

Você pode gostar...