Congresso Nacional da Unegro debate avanços para a população negra.

Secretário Gerson Pinheiro destacou o empenho da gestão estadual na promoção de políticas públicas para a população negra.

Secretário Gerson Pinheiro destacou o empenho da gestão estadual na promoção de políticas públicas para a população negra.

MARANHÃO – Negras e negros nos espaços de poder e em defesa da vida. Este é o tema do 5º Congresso Nacional da União de Negros Pela Igualdade (Unegro), realizado sábado (11) e domingo (12), das 8h até as 18h, no Centro Pedagógico Paulo Freire, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O evento conta com o apoio do Governo do Maranhão e reuniu centenas de militantes de todo o Brasil. Os impactos da crise econômica para as minorias, o aumento da violência contra a população negra e a garantia de promoção da igualdade racial foram os principais assuntos abordados.

Segundo o secretário de estado da Igualdade Racial, Gerson Pinheiro, o apoio do Governo do Estado ao congresso é parte do esforço da gestão desenvolvida pelo governador Flávio Dino em promover diálogo e parcerias com os movimentos sociais. “Essa troca de experiência nos enriquece e contribui para avançarmos no debate com as comunidades, já que o Maranhão é um dos estados mais negros do país”, ressaltou.

Entre os avanços, o secretário destacou a Lei de Cotas que destina 20% das vagas nos concursos públicos estaduais para negros, sancionada pelo governador Flávio Dino em dezembro do ano passado; o programa Maranhão Quilombola, voltado para o desenvolvimento social e econômico dos quilombos; e o Plano de Desenvolvimento Sustentável de Povos de Matriz Africana.

O presidente nacional da Unegro, Edson França, avaliou como positiva a campanha do Governo do Maranhão na promoção de políticas públicas para a população negra. “Em pouco tempo de governo, o Flávio Dino empreendeu iniciativas importantes para que a gente consiga superar as mazelas do racismo, e os resultados socioeconômicos produzidos”, disse França. O presidente defendeu ainda a abertura de eleições gerais para superação da crise política e econômica brasileira, maior representatividade dos negros em espaços de poder e o combate à violência contra jovens e mulheres negras.

Para a dirigente estadual da Unegro no Rio de Janeiro, Sonia Nascimento, a atual gestão representa um avanço na luta dos povos quilombolas no Maranhão. “A gente aposta no Dino por ele representar a derrota contra um modelo de governo que oprimia o povo maranhense há décadas, principalmente a população quilombola”, frisou a militante.

Integrante da direção da Unegro no Maranhão, Nilton Santos acredita que hoje o Estado está na vanguarda do debate pela igualdade racial no Brasil. “O Maranhão anda sempre na contramão da história. Há três anos atrás, quando o país avançava, a gente fazia o movimento contrário e regredia em políticas públicas. Agora, com o novo quadro político colocado nacionalmente, de retrocesso total para as minorias, o Maranhão pega outro caminho, um caminho do avanço de políticas públicas para o negro. Ainda bem que essa contramão da história é pelo bem do povo maranhense, do povo negro, da população em geral”, disse Nilton.

O 5º Congresso Nacional da Unegro segue com programação até as 18h deste domingo. A abertura oficial foi realizada na última sexta-feira (10), no Centro Pedagógico Paulo Freire, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Congresso Nacional da Unegro debate avanços para a população negra

Congresso Nacional da Unegro debate avanços para a população negra.

Você pode gostar...