Covid-19: Ministério da Saúde diminui tempo de isolamento

Ministro Marcelo Queiroga.

BRASÍLIA – O Ministério da Saúde decidiu reduzir de dez para sete dias o período recomendado de isolamento para pacientes com covid-19. Em entrevista coletiva dada no início da noite de hoje (10), o ministro Marcelo Queiroga anunciou a nova recomendação do governo. Segundo a atualização do guia de vigilância epidemiológica para a covid-19 da pasta, caso não haja mais sintomas no sétimo dia, a pessoa pode sair do isolamento.

Segundo o Ministério da Saúde, quem contrair a Covid e estiver assintomático, após cinco dias pode fazer o teste e em dando negativo está liberado da quarentena.

Já as pessoas que estiverem sem sintomas após os cinco dias, mas que continuarem testando positivo para o novo coronavírus terão de permanecer isoladas até 10 dias depois da infecção para serem liberadas.

No caso da pessoa não conseguir fazer o teste após cinco dias ao diagnóstico positivo, pode sair do isolamento no sétimo dia, desde que não apresente nenhum sintoma da doença.

Para as pessoas que ainda estiverem com sintomas após sete dias do diagnóstico da Covid-19, o Ministério da Saúde recomenda a testagem para saber se a infecção permanece e a manutenção da quarentena até que o quadro da doença complete dez dias.

Testes – Além disso, o Ministério da Saúde vai pedir à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização para uso de autoteste no Brasil.

A agência tem conversado com o Ministério da Saúde sobre o tema para que a medida avance. Atualmente, devido a uma outra resolução da agência não é permitido no país o uso de autotestes para detecção de Covid-19 em casa.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a Anvisa sinalizou positivamente em relação à autorização, mas pediu parecer da pasta. Segundo Queiroga, a pasta não deve adotar uma política de distribuição deste tipo de teste, mas recomendará a possibilidade de que sejam vendidos em farmácias.

Você pode gostar...