Custodiados do sistema prisional maranhense conquistam vagas em cursos de nível superior por meio do ENEM PPL

Internos da UPSL 2 em preparação para o Enem PPL.

MARANHÃO = As ações de ressocialização do Governo do Maranhão, com foco na educação das Pessoas Privadas de Liberdade (PPL), propiciou que 10 internos do sistema prisional maranhense conquistassem vagas em cursos de nível superior em instituições de ensino como a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) e a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), por meio das notas de corte obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL).

Do total de 1.146 reeducandos dos 45 estabelecimentos penais (38 Unidades Prisionais e 7 Associações de Proteção e Assistência aos Condenados – APACs), 1.118 realizaram as provas do ENEM PPL 2020. Sendo que 592 internos alcançaram nota de corte para concorrerem às vagas nos cursos de nível superior na 1ª chamada do SISU. 

Dos que fizeram o ENEM PPL, 52,09% alcançaram a nota mínima para pleitear uma vaga no Ensino Superior. Ou seja, grande parte dos internos que fizeram o ENEM PPL 2020 tiveram bom êxito ao conseguir boas notas.

“Desde 2015 a SEAP inseriu, em todas as unidades prisionais, as atividades educacionais, a alfabetização e o incentivo à leitura. E por meio destas ações, a cada ano, os internos se sobressaem na avaliação do ENEM PPL”, disse o secretário de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), Murilo Andrade. 

Além disso, 31 reeducandos que participaram do ENEM PPL (edição 2019) obtiveram notas e concorreram às vagas em cursos de nível superior, sendo contemplados com bolsas de estudo na Fundação Pitágoras, na modalidade de Educação a Distância (EAD). 

As ações são realizadas em parceria da SEAP com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Kroton e a Federação das APACs (FEBAC).

Você pode gostar...