DEPUTADO ROBERTO COSTA E O VEREADOR FÁBIO CÂMARA SÃO OS COMANDANTES DO PMDB DE SÃO LUÍS.

SENADOR JOÃO ALBERTO, DEPUTADO ROBERTO COSTA E FÁBIO CÂMARA.

SENADOR JOÃO ALBERTO, DEPUTADO ROBERTO COSTA E FÁBIO CÂMARA.

SÃO LUÍS – Como já era esperado, o deputado estadual Roberto Costa (PMDB) se reelegeu como presidente do diretório municipal do partido em São Luís e deverá comandar o processo que definirá os rumos da legenda em 2016.

A reeleição de Roberto Costa não foi nenhuma novidade, a “surpresa” foi a entrada do vereador Fábio Câmara no diretório municipal como vice-presidente. Costa e Câmara eram desafetos e viviam trocando farpas, mas parecem ter fumado o ‘cachimbo da paz’ em prol de uma outra batalha, evitar que o ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad seja sequer pré-candidato a prefeito.

Após a reeleição de Roberto Costa, o senador João Alberto, tutor político de Costa, garantiu que será o PMDB de São Luís que definirá os rumos do partido em 2016.

“O diretório municipal do partido terá total autonomia para definir os rumos para a eleição. O partido sempre deu liberdade aos diretórios municipais, e desta vez não será diferente”, disse o senador.

O presidente reeleito do PMDB São Luís, Roberto Costa, assinalou que o objetivo do partido é trabalhar por uma candidatura própria e voltou a dizer que a ex-governadora Roseana Sarney será convidada a disputar o pleito eleitoral.

“A governadora Roseana é reconhecidamente um dos quadros mais qualificados que temos para esta disputa. Ela dispõe de um trabalho gigantesco e consistente em São Luís, com inúmeras obras e ações já realizadas e que a credenciam para a disputa pela Prefeitura”, disse.

No entanto, de maneira antidemocrática, Roberto Costa seguiu reafirmando veto aos demais membros do PMDB, com exceção dele e Fábio Câmara, ninguém mais pode sequer sonhar em ser pré-candidato pelo PMDB.

“Tanto o nome do deputado Roberto Costa, quanto o do vereador Fábio Câmara, estão à disposição do PMDB. E se mesmo assim, o partido entender que não dá para enfrentar uma disputa com candidatura própria, aí o diretório passará a buscar uma composição com outro partido político”, finalizou.

O resumo é que o partido será apenas coadjuvante nas eleições em 2016 na capital maranhense, pois Roberto Costa deve ser candidato a prefeito em Bacabal, diga-se de passagens com chances reais de vencer a eleição, e Fábio Câmara não trocará uma reeleição encaminhada por uma aventura.

O problema é descobrir o caminho do PMDB. O partido está tão perdido que até uma aliança com o atual prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, está sendo cogitada, o que convenhamos seria uma incoerência absurda, afinal o vereador Fábio Câmara é o principal opositor da gestão Edivaldo na Câmara de São Luís. Mas, parafraseando João Castelo, como na política até boi voa, ninguém duvida de absolutamente mais nada.

 

Você pode gostar...