GÁS DE COZINHA PODE ESTAR SENDO VENDIDO DE FORMA ADULTERADA.

SUSPEITA DE ADULTERAÇÃO

SUSPEITA DE ADULTERAÇÃO

 

SÃO LUÍS – A Liquigás Distribuidora de gás de cozinha interrompeu o abastecimento nesta terça-feira (19) em decorrência de uma possível contaminação com água no navio ou nos dutos. A promotora de Justiça Lítia Cavalcanti (Defesa do Consumidor) pediu, oficialmente, à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para averiguar uma denúncia de mistura de água ao gás de cozinha vendido pela Liquigás.

Segundo a promotora, O Ministério Público (MP) recebeu uma denúncia, na manhã desta terça-feira, de que haveria presença de água nos botijões comercializados pela Liquigás. Os caminhões da distribuidora ficaram parados durante todo o dia.

Lítia Cavalcante recomenda que o consumidor que se sentir lesado denuncie ao Procon ou ao MP. O consumidor que levar para casa um gás adulterado estará tendo apenas prejuízos financeiros, uma vez que pagou por um botijão de gás que deveria conter 13 quilos de gás, e este, por sua vez, não continha os 13 quilos.

“Mesmo que o produto adulterado não chegue ao consumidor final, a empresa poderá sofrer sanções administrativas. Se o produto chegar ao consumidor, a empresa estará cometendo um crime que pode chegar a cinco anos de prisão”, afirmou a promotora.

Em nota, a Liquigás Distribuidora afirma desconhecer qualquer ocorrência de presença de água nos botijões comercializados com sua marca. Em relação ao atraso no abastecimento de botijões das revendas da Liquigás, em São Luís, a Companhia informa que o problema aconteceu devido à falta de energia elétrica durante a noite, fato que atrasou o bombeio de GLP para a Liquigás.

Veja na íntegra nota

A Liquigás Distribuidora desconhece qualquer ocorrência de presença de água nos botijões comercializados com sua marca. Em relação ao atraso no abastecimento de botijões das revendas da Liquigás, em São Luís, a Companhia informa que o problema ocorreu devido à falta de energia elétrica na rede pública durante a noite, fato que atrasou o bombeio de GLP para a Liquigás. Hoje (19/3) as atividades foram retomadas normalmente no início da tarde e as entregas estão sendo regularizadas.

A Liquigás reitera que cumpre fielmente o compromisso de oferecer produtos de qualidade, dentro da conformidade das normas técnicas, e que seus botijões saem dos centros operativos em perfeitas condições de uso, com lacre, etiqueta e quantidade correta de GLP.

Você pode gostar...