Governo entrega escolas quilombolas totalmente reconstruídas em Codó e Itapecuru.

Escola Quilombola Olegário Bispo Itapecuru.

Escola Quilombola Olegário Bispo Itapecuru.

MARANHÃO – Dentro do maior programa de investimento na infraestrutura educacional do Maranhão, o Governo do Estado entregou mais 10 escolas totalmente reconstruídas em oito municípios do Maranhão no sábado (9). Duas destas escolas estão em território quilombola: em Codó e Itapecuru. Ao todo, foram investidos R$ 10,5 milhões de reais que irão beneficiar 6.254 estudantes maranhenses nesta etapa. A primeira fase contou com a entrega de 30 escolas, em 17 municípios, que propiciaram condições dignas de estudo para 19 mil alunos.

As escolas entregues no fim de semana fazem parte do programa de reformas de escolas estaduais espalhadas em todas as regiões do Estado, numa parceria entre as Secretarias de Estado da Educação e da Infraestrutura.

Escolas Quilombolas

SECRETARIO GERSON E SEC. FELIPE CAMARÃO.

SECRETARIO GERSON E SEC. FELIPE CAMARÃO.

Os secretários Felipe Camarão, de Educação, e Gerson Pinheiro, de Igualdade Racial, inauguraram em Codó o Centro de Ensino Quilombola de Formação por Alternância Ana Moreira, que foi contemplado com a reforma que beneficiará 73 alunos. A escola fica localizada no Povoado Santo Antônio dos Pretos e conjuga, de forma alternada, o conhecimento em sala de aula com o trabalho no campo. Os investimentos no Ana Moreira, na ordem de R$ 842 mil, pretendem assegurar educação digna para os estudantes da comunidade.

Para Gerson Pinheiro este é o maior investimento que o governo do Maranhão faz na educação nas últimas décadas. “A importância destas reformas de escolas, em alguns casos são praticamente reconstruções, é a de proporcionar um ambiente digno para alunos e professores desenvolverem com qualidade suas atividade no processo de ensinar e aprender. No caso das escolas quilombolas inauguradas, o governador Flavio Dino demonstra o seu compromisso com um novo modelo de inclusão dos negros e negras nos espaços de conhecimento, de trabalho e de poder, modelo este que privilegia a pessoa humana”. Este compromisso fica claro com as políticas do Programa Maranhão Quilombola, com a lei de cotas aprovadas em nosso governo, com as rotas de desenvolvimento quilombolas, com o Centro de Referência em Igualdade Racial, com o plano de Matriz Africana, com a Copa Quilombola e tantas outras políticas de igualdade racial que temos desenvolvido, reforçou o secretário.

Os secretários Gerson Pinheiro e Felipe Camarão ainda inauguraram no mesmo dia o Centro de Ensino Paulo Freire, em Timbiras, que foi contemplado com a reforma que beneficiará 592 alunos. Além da instalação de aparelhos de ar condicionado para refrigeração das salas de aula, houve requalificação da estrutura interna com reforma de banheiros, pinturas de fachadas, troca de telhados, reparos em pisos e áreas comuns, em um total de investimentos que somam R$ 1,03 milhão.

A Escola Paulo Freire ainda guarda uma particularidade: a escola foi uma das que mudaram de nome para deixar de homenagear representantes do regime ditatorial. Antes, CE Emilio Garrastazu Médici, o Paulo Freire teve seu novo nome escolhido pela comunidade escolar.

Em Itapecuru, o Centro de Ensino Olegário Bispo, que fica localizada no povoado quilombola Santa Joana também foi inaugurado neste sábado. A escola recebeu reparos em pisos, telhados, banheiros, fachadas, além da instalação de aparelhos de ar condicionado, para refrigeração das salas de aula. A reconstrução beneficia 74 alunos do povoado quilombola, com investimento de R$ 824 mil.

A comunidade quilombola do Povoado de Santa Joana, presente à solenidade, destacou a atenção pioneira do governo Flávio Dino ao reformar a escola, esquecida durante tantos anos.

 “Eu agradeço ao Flávio Dino porque, de todos os governos, ele é o único que está olhando para o povo quilombola”, disse o presidente da associação da comunidade Santa Joana, Patrícia Ribeiro de Sousa, 44 anos. Ela estuda à noite na escola Olegário Bispo, cursa o segundo ano do Ensino Médio.

A secretária-adjunta da SEIR, Socorro Guterres, esteve presente na inauguração e falou da importância da reforma das escolas quilombolas: “o ambiente escolar prazeroso contribui para um bom desempenho no processo de aprendizagem das crianças, porque o aspecto físico, equipamentos adequados, ambiente arejado, material didático e uma equipe de professores motivada permitem que a criança tenha prazer em permanecer na escola”.

ESCOLA QUILOMBOLA.

ESCOLA QUILOMBOLA.

Escola Digna

Além do Programa de Reconstrução de Escolas da Rede Estadual, o Governo do Maranhão também avançou na implantação do Programa ‘Escola Digna’, que está substituindo escolas de taipa nos municípios por unidades escolares totalmente equipadas. O processo de contratação de empresas vencedoras para reforma de 20 escolas já foi iniciado. Outras 54 unidades do ‘Escola Digna’ passam por processo de Regime Diferenciado de Contratações – RDC, para agilizar e tornar mais eficiente o procedimento de contratação e realização das obras.

Você pode gostar...