Irmãs acusadas de homicídio são condenadas em Matinha

TRIBUNAL DO JÚRI EM MATINHA.

MARANHÃO – As irmãs Tainar e Tainara dos Santos foram submetidas a julgamento popular na última quarta-feira (24), acusadas de prática de feminicídio. O conselho de sentença optou pela culpabilidade e elas receberam as penas de 18 e 16 nos, respectivamente. Conforme a denúncia do caso, elas teriam matado, em 19 de abril de 2019, a vítima Kelrrey Daiana Ferreira Mouzinho. As irmãs devem cumprir a pena, inicialmente, em regime fechado, em estabelecimento a ser determinado pelo sistema penitenciário do Estado.

O inquérito policial destaca que, na data acima mencionada, as irmãs teriam, por motivo fútil, matado a vítima Kelrrey Daiana, a facadas, sem chances de defesa. Segue relatando que, dois dias antes do crime, a vítima teria se desentendido com as denunciadas em evento festivo que ocorria na cidade. Continua o inquérito que as irmãs foram até a casa de Kelrrey com o propósito de matá-la. A vítima ainda tentou se defender usando uma churrasqueira mas, devido à força das duas irmãs e aos golpes recebidos, ela caiu, sendo atingida mais algumas vezes.

Kelrrey ainda foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. Depois de cometerem o crime, Tainar e Tainara se evadiram do local. Algum tempo depois, as irmãs se apresentaram à polícia, já fora do flagrante. Entretanto, depois de estarem cientes do mandado de prisão, elas fugiram novamente e foram encontradas em Rosário, alguns dias depois. 

“Vê-se, portanto, que a materialidade e a autoria delitiva restaram comprovadas por meio de exame cadavérico e depoimentos de testemunhas, que foram unânimes em afirmar que as irmãs foram as autoras do assassinato de Kelrrey”, explanou a denúncia, oferecida pelo Ministério Público. A sessão de julgamento teve a presidência do juiz Alistelman Mendes Dias Filho e foi realizada no Sindicato dos Servidores Municipais de Matinha.

FONTE: Assessoria de Comunicação/Corregedoria Geral da Justiça

Você pode gostar...