Justiça condena homem que matou policial civil no Maranhão.

Iran Santos tinha 51 anos e estava há 30 anos na polícia no Maranhão.

SÃO LUÍS/MA – Nesta sexta-feira (27), a Justiça condenou a 22 anos e meio de prisão Rogério Batista Pereira, que matou uma policial civil em fevereiro deste ano. A sentença assinada pela juíza Rafaella Saif Rodrigues, da comarca da Ilha de São Luís, em Raposa, condena Rogério pelo crime de latrocínio contra a chefe de captura da Delegacia de Homicídios, Iran Cerqueira Santos.

No dia 2 de fevereiro deste ano, no Farol do Araçagy, na Raposa, Iran estava na porta de casa, quando dois homens apareceram e a abordaram. Ao tentar roubar a vítima, Rogério e um comparsa trocaram tiros com a policial. Um dos homens, identificado como Leandro da Silva, morreu. A policial foi atingida e levada à UPA do Aracagy, mas não resistiu. Ela tinha 51 anos e trabalhava há 30 anos como policial civil.

As investigações policiais ainda apontaram a participação de um homem identificado como Charlysson Nascimento, proprietário da motocicleta usada no crime. Por meio da esposa de Charlysson a polícia descobriu a participação de Rogério Batista.

 

Você pode gostar...