LUÍS FERNANDO DESISTE DA DISPUTA E EDINHO LOBÃO SE ARTICULA, MAIS TEM 100% DE REJEIÇÃO TANTO DO POVO COMO DO GRUPO.

Sem carisma , sem experiência, com muita rejeição e passado de denúncias, nome de Edinho Lobão é “fardo pesado” para o grupo Sarney

Sem carisma , sem experiência, com muita rejeição e passado de denúncias, nome de Edinho Lobão é “fardo pesado” para o grupo Sarney.

MARANHÃO – O clima é tenso e de muita indecisão no grupo Sarney que demonstra sinais de que está ruindo mesmo. O que já era esperado se confirmou neste final de semana. Com o anúncio da permanência da governadora Roseana Sarney até o final do mandato, o candidato do clã ao governo do Maranhão, Luís Fernando Silva, “jogou a toalha” e desistiu da disputa.

Há menos de seis meses da eleição de outubro, o grupo Sarney tentará encontrar agora um candidato que esteja à altura de disputar o governo do Maranhão contra o líder de todas as pesquisas, o comunista Flávio Dino, que vem costurando apoios e se fortalecendo para a disputa há pelo menos três anos. A opção do momento seria o suplente de senador, Edinho Lobão Filho (PMDB), já que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, não se desincompatibilizou, mas para viabilizá-lo o trabalho teria que ser árduo, pois o nome do empresário apresenta muita rejeição (já foi alvo de denúncias graves envolvendo “laranjas”), portanto “pesado” demais para uma disputa tão difícil.

Já era consenso no grupo Sarney que se Luís Fernando não fosse emplacado no cargo de governador por uma eleição indireta na Assembleia Legislativa, ele não teria condições de disputar o governo contra Flávio Dino já que pesquisas analíticas e qualitativas internas apontavam um perigo de derrota.

No banco de políticos do grupo Sarney, aptos a disputar o governo do Maranhão, há ainda o ex-chefe da Casa Civil, João Abreu, os deputados federais Gastão Vieira (PMDB) e Pedro Fernandes (PTB) que se desincompatibilizaram. No entanto, nenhum deles teve o nome trabalhado para isso como vinha acontecendo com Luís Fernando, o que torna as coisas muito difíceis  para o grupo.

João Castelo pode ser saída do grupo Sarney

No jogo das articulações, o grupo Sarney tenta ainda uma aliança complicada com o PSDB do ex-prefeito João Castelo já que, no cenário nacional, tudo que o presidenciável Aécio Neves não quer é ver o partido tucano aliado ao PT e ao PMDB que formam a principal base da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição. Uma aliança do PMDB com o PSDB no Maranhão parece remota, mas se torna possível se o PT não estiver no palanque. O nome forte do partido tucano para uma disputa majoritária é o de João Castelo que, no frigir dos ovos, pode ser a saída do grupo para a disputa pelo Senado ou ainda, pasmem, para a corrida pelo governo do Estado, já que o clã não tem opções de peso para concorrer com Flávio Dino.

E já pensou? Uma disputa entre João Castelo e Flávio Dino seria o que faltava…

FONTE: BLOG DA SILVIA TEREZA

 

 

 

Você pode gostar...