POLÍCIA JÁ SABE QUEM MATOU O FISCAL DA SEFAZ EM SÃO LUÍS.

Delegado Jefrey Furtado.

Delegado Jefrey Furtado.

SÃO LUÍS – A Polícia Civil já sabe quem matou o fiscal da Secretaria de Estado da Fazenda, José de Jesus Gomes Saraiva, segundo matéria exibida no JMTV, mas ainda guardam sigilo sobre o nome do autor dos disparos. O crime aconteceu no dia 19, na Vila Maracujá, zona rural de São Luís. De acordo com o delegado Jefrey Furtado, o crime tem relação com o trabalho de fiscalização de uma carga de arroz avaliada em R$ 100 mil. A Polícia Civil já prendeu Elionai Silva Costa, o guia que estava, no carro, com o servidor.

As investigações chegaram ao suspeito após um caminhão com uma carga de arroz, originária de Santa Catarina, ser inspecionada por peritos do Instituto de Criminalística (Icrim). No dia do crime, a carga já havia sido inspecionada pelo fiscal e desde então passou a ser monitorada pela Receita Estadual. A suspeita é de que uma empresa fantasma receberia a carga, para não pagar impostos.

“Nossa suspeita é de que essa empresa seja fantasma. Por isso o fiscal Saraiva queria saber onde é que a carga iria ser descarregada. As investigações foram avançando e a gente conseguiu chegar ao proprietário de uma caminhonete, que é proprietário da carga que estava no caminhão. Ele, quando tomou conhecimento de que a carga seria fiscalizada e toda a trama de sonegação iria por terra, saiu de seu sítio e interceptou o Saraiva, assassinando-o”, disse o delegado.

De acordo com as investigações, do posto da receita na estiva, o fiscal da secretaria de fazenda seguiu o caminhão pela BR-135. Mas no caminho, um guia, encarregado de mostrar o endereço final e que estava junto com o motorista do caminhão, pediu para entrar no carro do fiscal, alegando que iria deixá-lo no local onde a mercadoria seria descarregada. Era uma emboscada.

Um vídeo obtido pela polícia mostra o carro do fiscal passando pela avenida principal da Vila Maracujá, até um lugar sem saída. Em seguida aparece uma caminhonete, onde o motorista sai e dispara contra o fiscal da receita. Logo depois, o comparsa sai do carro branco e mostra os papéis que pegou – segundo a polícia seriam as notas fiscais frias do produto investigado. mesmo ferido o fiscal ainda tenta sair com o veículo, mas morre no local.

O suspeito já identificado está foragido, e o outro participante do assassinato ainda não foi identificado. Nenhum dos envolvidos no crime foi preso até agora.

FONTE: SILVIA TEREZA

Você pode gostar...