POLÍCIA REALIZA RECONSTITUIÇÃO DO CASO BRUNNO MATOS.

RECONSTITUIÇÃO DO ASSASSINATO DE BRUNNO.

RECONSTITUIÇÃO DO ASSASSINATO DE BRUNNO.

SÃO LUÍS – Foi realizada na madrugada desta quarta-feira (19), mais uma fase do inquérito que está investigando o assassinato do advogado Brunno Eduardo Matos Soares e a tentativa de homicídio contra Alexandre Matos Soares e Kelvin Chiang, ocorrida no dia 06 de outubro, no bairro Olho d’Água, em São Luís. Os trabalhos tiveram início às 3h da madrugada e contaram com a participação dos suspeitos, das vítimas, técnicos do Instituto de Criminalidade do Maranhão (Icrim), 50 policiais civis, militares e de força técnica, quatro delegados e três peritos, além da equipe da Delegacia de Homicídios do Habitacional Turu.

Para os responsáveis pelo inquérito, essa fase de reconstituição é importante para esclarecer de fato o que aconteceu na madrugada do dia do crime e para ver se os depoimentos dados durante a fase de acareação batem. Na primeira fase da reconstituição, Alexandre Soares Matos (irmão do advogado) relatou o que aconteceu na frente da rua dos Magistrados, afirmando ter visto Diego Polary esfaqueando Brunno Matos e depois cometendo o mesmo ato contra ele. Já Carlos Humberto Marão, um dos principais suspeitos do crime para a polícia, negou participação e detalhou todo o posicionamento dos automóveis na hora em que ocorreu o crime.

Em seguida, foi a vez do vigia João José Gomes, que chegou a assumir participação na morte de Brunno Matos na primeira versão, mas hoje afirmou ser culpado por esfaquear Kelvin Chiang. Segundo a perícia, está confirmado que o vigia esfaqueou o amigo de Bruno, Kelvin Chiang. Agora a perícia espera resultados de exames para saber se a faca usada em Kelvin foi a mesma utilizada no advogado Bruno e no seu irmão Alexandre. Diego Polary, outro suspeito de envolvimento no crime, continua negando que esteve presente no local.

 

 

FONTE: O IMPARCIAL

Você pode gostar...