POLÍCIAIS MILITARES ENTRAM EM GREVE NO MARANHÃO.

Em 2011, militares permaneceram em vigília na Assembléia Legislativa.

Em 2011, militares permaneceram em vigília na Assembléia Legislativa.

MARANHÃO – Após uma Assembleia Geral realizada na sede da Fetaema, no Centro, os policiais militares do Maranhão decidiram, nesta quarta-feira, paralisar as atividades.

Desde fevereiro a categoria estudava a possibilidade de mais uma greve. Os militares criticam o reajuste de 7% concedido pelo Governo do Estado. Segundo eles, a medida não reflete aumento, apenas reposição de perdas salariais coma inflação. Com o reajuste, um soldado, por exemplo, que recebia R$ 2.396,80 em 2013, a partir de março deste ano terá sua remuneração elevada para R$ 2.564,58. Exatamente o que foi proposto em acordo que possibilitou o fim da greve de 2011.

Os policiais e bombeiros militares decidiram, após Assembleia Geral, se aquartelaram na Câmara de Vereadores de São Luís. São cerca de 300 policiais aquartelados no estacionamento do legislativo municipal.

Os militares teriam tentado novamente, como fizeram em 2011, se aquartelar na Assembleia Legislativa, mas como encontraram dificuldades resolveram seguir para a Câmara de Vereadores.

A paralisação é em virtude de um reajuste que os militares buscam junto ao Governo do Maranhão e asseguram que só deixam o legislativo municipal após terem seus pleitos atendidos.

 

Você pode gostar...