PORTO DO ITAQUI IMPULSIONA DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MARANHÃO.

Lucro real supera expectativas das projeções feitas para 2015.

Lucro real supera expectativas das projeções feitas para 2015.

MARANHÃO – Durante apresentação institucional dos resultados da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) em janeiro deste ano, o presidente da estatal, Ted lago, divulgou um dado comparativo que representa a guinada do Porto do Itaqui como indutor de desenvolvimento do Maranhão: o lucro líquido esperado em 2015 era de apenas R$ 307 mil, segundo projeções feitas em 2014. A projeção modesta se transformou em lucro real de R$ 68 milhões ao final de 2015.

A explicação para a grande diferença entre o lucro esperado e os lucros reais alcançados pelo Porto do Itaqui em 2015, foi o direcionamento que o Porto passou a ter no projeto de integração das cadeias geradoras de desenvolvimento econômico. O Itaqui opera, atualmente, dentro da centralidade estratégica de desenvolvimento do Estado.

Um exemplo dessa integração foi a entrega de 15km de pavimentação de trecho urbano da MA-006, por onde escoa grande parte da produção de grãos Maranhão. Graças a essa obra, a produção de soja no Sul do estado passou a chegar com mais facilidade ao porto e de lá para os mercados consumidores. Com a pavimentação do trecho, mais de 50% de toda a produção de soja do Maranhão agora chega com mais facilidade ao Porto do Itaqui.

O presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho do Maranhão, Isaías Soltadelli, explica que com a recuperação do trecho da MA e a ampliação dos terminais de grãos no Porto do Itaqui, haverá aquecimento de vários setores da economia. “Agora podemos escoar milho e soja usando caminhões que percorrerão a rodovia até o Itaqui, isso vai gerar uma cadeia de atividades econômicas, com ampliação do setor de serviços, gerando oportunidades e melhorando a produtividade, ”avaliou.

Além dos investimentos em infraestrutura rodoviária para escoamento da produção maranhense, o Governo do Estado investiu na modernização do Porto atuando em duas frentes: investimentos públicos e privados.

“A capacidade recuperada de investimentos da Emap, com recursos oriundos da operação portuária, mostra que o Porto do Itaqui é autenticamente uma ferramenta de desenvolvimento do nosso Estado, porque essas obras geram emprego, renda e oportunidades para milhares de pessoas,” disse o governador Flávio Dino, ao anunciar as obras de reforma e ampliação dos terminais delegados, tanto da Ponta da Espera, quanto do Cujupe, num total de investimentos de R$ 300 milhões oriundos das receitas da própria Emap.

No campo dos investimentos privados, a ação do Maranhão é vista como exemplo para outros portos brasileiros, uma vez que o governo busca fortalecer sua posição no Matopiba, região formada por áreas situadas nos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Para a Associação Brasileira dos Terminais Retroportuários e das Empresas Transportadoras de Contêineres (ABTTC), a movimentação recorde de cargas em 2015, está relacionada à entrada em operação do Tegram, Terminal de Grãos Privado, inaugurado pela presidenta Dilma Rousseff e pelo governador Flávio Dino em agosto do ano passado.

Segundo a ABBTC, apenas o Tegram, deve superar já em 2016 a movimentação recorde de 2015, elevando de 3,4 milhões de toneladas para até 4,5 milhões de toneladas escoadas em 2016.

Outro paradigma que coloca o Porto do Itaqui na linha estratégica do desenvolvimento estadual é o seu crescente potencial para a entrada de mercadorias que podem ser processadas no Maranhão e gerar riqueza.

Porto em números:

  • Crescimento de 21% em movimentações de cargas durante 2015 com recorde histórico de 21,8 milhões de toneladas;
  • Investimentos de no valor de R$ 1,35 bilhão até 2017;
  • Grau de satisfação dos clientes do Porto atingiu a marca de 75,93%, 11% a mais em relação ao ano anterior;
  • Expectativa de lucros para 2015 saltou de R$ 307 mil para R$ 68 milhões;
  • Mais de 100 mil passageiros embarcaram nos terminais de Ponta da Espera e Cujupe, somente no período carnavalesco de 2016;

 

Você pode gostar...