PRESIDENTE DO TRT-MA, DESEMBARGADORA ILKA ESDRA SILVA ARAÚJO É DENUNCIADA AO CNJ.

Desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho no Maranhão, Ilka Esdra Silva Araújo

Desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho no Maranhão, Ilka Esdra Silva Araújo.

MARANHÃO – O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) recebeu denúncia contra a presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, a desembargadora Ilka Esdra Silva Araújo, que está provisoriamente afastada por conta de uma licença para tratamento de saúde. Trata-se de uma denúncia formulada pelo ex-secretário geral Sindicato dos Funcionários Públicos Vigilantes do Estado do Maranhão (SFPVEMA), Severino Lima de Jesus, envolvendo um processo de litígio que há tempos tramita no tribunal sem data a ser julgado.

Ocorre que o atual presidente do SFPVEMA, Roberval Jansem, havia perdido a eleição e só conseguiu assumir o cargo depois que a desembargadora Ilka analisou e julgou o processo em seu favor, mesmo depois de ter tido três liminares indeferidas. Na ocasião Ilka Esdra além de determinar a posse de Roberval Jansem como novo presidente, afastou Orlando Frazão e todos os membros da diretoria.

A desembargadora não demonstrou nenhum interesse em dar sequência no processo, o que levou a parte prejudicada a ingressar com um Agravo Regimental em setembro do ano passado. Mas, somente depois de quatro meses os autos foram remetidos ao TRT-MA e o julgamento que deveria ter sido realizado em fevereiro, nunca ocorreu. De acordo com denúncia encaminhada ao CNJ, um processo administrativo disciplinar deve ser instaurado, assim como a suspeição da desembargadora Ilka Esdra. À Corregedoria­-Geral da Justiça do Trabalho já foi solicitado esclarecimentos e providências quanto ao caso.

Você pode gostar...