PRF, DNIT e EMAP definem ações de prevenção aos acidentes provocados por derramamento de fertilizante na BR-135.

REUNIÃO DO DNIT, PRF E EMAP.

MARANHÃO – A Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) estiveram reunidos nesta quarta-feira (24), na sede do DNIT, na Rua Jansen Muller, no bairro Centro, em São Luís-MA, para tratar  de um assunto que tem repercutido nos últimos dias, que são os acidentes de trânsito provocados por derramamento de fertilizantes no acesso da BR 135, entre o Porto do Itaqui e a Vila Maranhão.

No intervalo de um mês, ao menos cinco acidentes foram registrados pela PRF próximo ao km 12 do acesso da rodovia por conta da presença de uréia derramada na pista. O produto perigoso, geralmente importado da Ucrânia ou da Rússia, é transportado em contêineres ou a granel. Neste último caso, vez por outra algum excesso acaba derramando sobre o asfalto, que, em contato com a chuva ou sereno da madrugada, deixa o pavimento muito escorregadio, o que vem provocando transtornos e até acidentes com vítimas no local. As ocorrências geralmente acontecem entre a madrugada e o início do dia, quando o sereno cai e entra em contato com a uréia, deixando o pavimento bastante escorregadio.
Os  representantes da EMAP disseram que já fazem um trabalho preventivo nas carretas que transportam este tipo de produto e só as liberam quando estão devidamente prontas para trafegar nas rodovias. Falou ainda que algumas delas se dirigem ao Distrito Industrial para fazerem o preparo dos fertilizantes e, neste caso específico, após o processamento, a EMAP não tem gestão sobre o carregamento fora do Porto. Além da uréia, a PRF também já atendeu ocorrências de acidentes provocados por derramamento de outras cargas, como cimento, areia, brita, etc., ou por objetos lançados por ocupantes de veículo passeio ou de transporte de passageiros.
Ao final da reunião ficou acertado que a EMAP vai intensificar os trabalhos de vistoria nos veículos que transportam uréia; o DNIT se comprometeu sinalizar o trecho onde ocorrem os acidentes com a colocação de placas de sinalização de “60km/h” e de “Pista escorregadia”; e a PRF ficou de intensificar a fiscalização regular dos veículos que fazem este tipo de transporte. Também ficou acertado que o grupo formado pelo três órgãos fará uma visita ao local dos acidentes e, em seguida, uma visita às instalações do Porto do Itaqui onde acontecem os carregamentos e, por último, uma reunião mais ampla com a participação de representantes das empresas que distribuem e transportam fertilizantes. 
(Fonte: PRF)

 

Você pode gostar...