Proposta do TSE quer trocar urna eletrônica por voto online

Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

BRASÍLIA = O sistema brasileiro de voto por urna eletrônica pode estar com os dias contados. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estuda a possibilidade de o eleitor brasileiro usar o computador e o celular para escolher seus candidatos de forma online.

Os colégios eleitorais que experimentarão a tecnologia já nestas eleições ficam nas cidades de São Paulo, Curitiba e Valparaíso de Goiás (GO).

A exigência do TSE é que as tecnologias apresentadas preencham três requisitos: Identificação do eleitor por biometria digital ou facial; sigilo de voto e mecanismos de auditoria.

Segundo informações do coordenador do projeto Eleições do Futuro, Sandro Vieira, as empresas inscritas no projeto brasileiro serão as responsáveis pelos testes com votos válidos nas eleições do México marcadas para o ano que vem. Por enquanto, a Estônia é o único país no mundo que, desde 2004, oferece votação online segura. De acordo com o magistrado, o principal objetivo do TSE é baixar o custo das eleições e reduzir o número de eleitores que deixam de votar a cada pleito.

Sobre os custos da nova tecnologia, o coordenador diz que ainda não é possível falar sobre isso porque não se sabe qual tecnologia será escolhida.

Se tudo der certo nas demonstrações deste ano, os primeiros testes serão realizados em 2021 para que o futuro presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes, decida se deve implantar um projeto-piloto com votação real em algumas seções eleitorais na eleição de 2022.

Você pode gostar...