RECÉM-CRIADO, PROS JÁ ANUNCIA APOIO A DILMA.

PARTIDO NOVO COM Nº-90

PARTIDO NOVO COM Nº-90

 

 

Animado com a filiação do governador do Ceará, Cid Gomes, e do ministro dos Portos, Leônidas Cristino, o Partido Republicano da Ordem Social (PROS) anunciou, nesta quarta-feira, apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014. No entanto, apesar de assegurar já ter 28 deputados federais – o que o tornaria a sétima maior bancada da Câmara dos Deputados – na cerimônia de filiação na Casa compareceram menos da metade disso: apenas dez parlamentares.
Ainda assim, o clima era de otimismo, mesclado com um intenso governismo. “Nós vamos ajudar na governabilidade da presidente Dilma Rousseff”, disse o líder do partido, Givaldo Carimbão (AL), que deixou o PSB, partido pelo qual tem quatro mandatos. Sua expectativa é de que a bancada de 28 deputados dê grande poder de fogo nas negociações com o Palácio do Planalto, além de facilitar a manutenção do ministro dos Portos na legenda.
Cristino deixou o PSB quando o partido do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, rompeu com o governo federal. Segundo Carimbão, o PROS tem tamanho suficiente até para “sonhar com a Presidência da República”. “O partido já nasce largo, com estatura e musculatura e pode sonhar o sonho acordado de todos os brasileiros. Chegar à Presidência da República é o nosso sonho acordado.”
Já o presidente do PROS, o ex-vereador Eurípedes Júnior, de Planaltina de Goiás (cidade a cerca de 60 quilômetros de Brasília) disse que o conceito de direito e esquerda está ultrapassado. Eurípedes Júnior destacou que seu partido é de centro. Segundo ele, a principal bandeira do PROS será a redução de impostos.
O líder da legenda destacou que o partido conseguiu 1,5 milhão de assinaturas (sendo 515 mil certificadas e outras 100 mil aptas a serem apresentadas, mas que não foram protocoladas). Ele aproveitou a cerimônia de filiação dos deputados, realizada no Salão Nobre da Câmara, para criticar a Rede Sustentabilidade, da ex-ministra Marina Silva. Segundo Carimbão, a Rede não teve competência para coletar as assinaturas. Ele informou ainda que se a Rede não conseguir o registro, três deputados que se filiariam ao partido de Marina deverão ingressar no PROS.
Custo. Já o secretário-geral da legenda, Raul Canal, disse que o PROS gastou cerca de R$ 3 milhões para fundar o partido. Foram usados 600 coletores de assinaturas e para cada uma validada, o prêmio era de R$ 2. “O dinheiro é proveniente de doações de amigos”, disse ele.
Nos bastidores, o que se sabe, é que ministros e empresários, com José Batista Júnior, da Friboi, candidato ao governo de Goiás pelo PMDB, ajudaram a estruturar o PROS. Entre os ministros, atuaram na estruturação do novo partido Ideli Salvatti (Relações Institucionais), Fernando Pimentel (Indústria e Comércio Exterior) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil).
Dos deputados que entraram no PROS, só dois eram de oposição: Major Fábio (DEM-PB), e Dudimar Paxiuba (PSDB-PA). Todos os outros são governistas. Boa parte é proveniente do PSB, insatisfeitos com o rompimento de Eduardo Campos com o governo Dilma. 

Você pode gostar...